Pesquisar este blog

18 de jun de 2017

Rochas Alchimie - Fragrance Review


Português (click for english version):

Usar Alchimie me faz pensar que a Rochas é um exemplo didático de como uma marca pode fazer fragrâncias maravilhosas que passam despercebidas, mostrando o quanto você precisa de uma estratégia adequada de marketing e distribuição.

Alchimie é visto como uma espécie de variação no tema violeta do Lolita Lempicka, que por si só é visto como um descendente do Angel. Eu acho que todas as três fragrâncias têm diferenças discerníveis suficientes em suas formas olfativas para serem vistas separadamente e enquanto Alchimie e Lolita dependem de violeta, suas execuções parecem distintas para o meu nariz para fazer o comparativo.

Alchimie também baseia-se, como Lolita, em uma harmonia de alcaçuz e violeta, uma doce dissonância anísica que é equilibrada pelo que me parece principalmente uma base de sândalo e musk. Você também pode ver aqui um aroma brilhante de rosas que remete a batom com um toque retro claro. Além disso, há tons gourmand distantes de caramelo, baunilha e um quê cumarínico para adicionar uma aura quente secundária à composição geral.

Algo que eu pensei que poderia explicar por que Alchimie não foi um sucesso é que para uma fragrância no limiar dos anos 90 e 2000 Alchimie não tem os aspectos fortes dessas eras. Não é um floral frutado, ou uma fragrância minimalista ou um gourmand maximalista. É um aroma floral anisico elegante e moderado, algo bastante fácil de passar despercebido sem um bom posicionamento no mercado.

English:

Wearing Alchimie makes me think that Rochas is a didactic example of how a brand can make wonderful fragrances that go unnoticed  showing how much you need an appropriate marketing and distribution strategy.

Alchimie is seen as a kind of variation on the violet theme of Lolita Lempicka, which by itself is seen as a descendant of the Angel. I think all three fragrances have enough discernible differences in their olfactory forms to be seen separately and while Alchimie and Lolita depend on violet, their plays on it seem distinct to my nose to make a comparative.

Alchimie is also based, like Lolita, in a harmony of licorice and violet, a sweet anisic dissonance that is balanced by what seems to me mainly a base of sandalwood and musk. You can also see here a bright scent of roses that smells like lipstick, having a light retro touch. In addition, there are distant gourmand tones of caramel, vanilla and a coumarinic touch to add a warm secondary aura to the overall composition.


Something that I thought could explain why Alchimie was not a success is that for a fragrance on the edge of the 90s and 2000's Alchimie does not have the strong aspects of these eras. It is not a fruity floral, a minimalist fragrance or a maximalist gourmand. It is an elegant and moderate anisic floral aroma, something quite easy to go unnoticed without a good position in the market.