Pesquisar este blog

11 de mar de 2017

Maison Incens Cuir Erindil, Musc Kalirii e Oud Deneii - Fragrance Reviews



Português (click for english version):

É interessante observar que por mais que a proposta geral da temática da Maison Incens não seja inovadora como a grife propõe há uma boa coerência estética em todos os integrantes da coleção e uma execução bem feita dos perfumes de forma que eles se encaixam bem nos personagens e universo criado, fazendo com que você não se dê conta de que está diante de composições que exploram notas bem clássicas da perfumaria.Todos os perfumes da coleção possuem uma nota de incenso que acaba sendo a ligação entre eles e com o nome da casa e apesar do incenso não estar tanto claro em Figue Aoudii e Figue Eleii ele é bem evidente em suas variações em Cuir Erindil, Musc Kalirii e Oud Deneii.

Cuir Erindil é a fragrância criada para representar em Artganis Erin Incens, mestre dos dragões. Erindil é o nome de um dos dragões de Artganis, os quais eram selvagens e só podiam ser domados por meio do aroma do perfume de Erin. Ele é descrito como uma composição poderosa e incensada, algo que de fato casa bem com a criação proposta. O Incenso em Cuir Erindil vem em uma interpretação ao redor da nota de ambar, o que lhe confere uma aura adocicada, quente e um pouco defumada. Há bastante coisa acontecendo em Cuir Erindil, começando pela saída, que é exótica e apresenta um tom frutal que remete a cheiro de ameixa madura. Nessa fase o perfume tem uma mistura de frutas e especiarias que remete a uma versão com couro do perfume Feminite du Bois. É possível perceber um acorde de couro um pouco animálico e que se mistura ao incenso ambarado proposto na composição. O couro também tem toques levemente medicinais e uma nuance de bétula em seu aroma. É uma criação intensa, de excelente duração na pele, uma interessante proposta para um mestre capaz de dominar dragões apenas com seu aroma.

Musc Kalirii é a fragrância que representa uma das princesas do reino de Artganis. Ele foi criado para Anii Incens. Seu nome está relacionado a um dos pássaros do reino, o Kalirii, que é descrito como uma ave de aparência similar a do avestruz. Seu feromônio é utilizado como uma ferramenta poderosa que faz Anii ser vista como a mais bela de todas dentro do reino. Condizente com essa abordagem, a composição é uma das mais exóticas e intensas da coleção, com uma aura que remete ao incenso da perfumaria indiana. É uma mistura complexa que remete ao aroma de resinas, flores narcóticas, sândalo e ambar, um aroma que parece se expandir e preencher o ambiente ao seu redor. Há algo de mais carnal nos musks usados aqui, um toque animálico úmido que é perceptível por um breve momento na saída da composição. Ele se mistura a um aspecto cítrico meio amargo e limpo e acaba sendo mascarado pelo blend de flores brancas, que são bem carnais e suculentas e ocupam uma boa parte da evolução na pele. Musc Kalirii termina mais contemplativo, em uma mistura aconchegante da cremosidade de sândalo e da doçura balsâmica que permeia a composição.

Oud Deneii é uma das composições que a marca não deixa muito clara a história e o que fica sugerido ao pesquisar a respeito é que ele nasceu a partir de uma outra composição da marca que não está mais em produção, Tabac Licorii. Assumindo tal premissa, é uma composição feita para Yanaa Incens, sacerdotisa da ordem OTJ, responsável por manter o equilíbrio em Artganis. A aura de incenso dessa composição está claramente associada a uma das bases que é vendida para emular o aroma do agarwood e que o representa de uma forma mais adocicada e balsâmica. O tabaco que antes estava presente no nome é perceptível, porém de forma secundária, um toque picante e seco na doçura quente do aroma incensado do agarwood. A parte mais interessante, entretante, é a nota de mate, que aparece na saída da composição e confere um aroma herbal e floral ao agarwood, algo que por um breve momento me remete as nuances mais verdes do aroma do Jonquilho. É uma combinação inusitada e que funciona muito bem, algo exótico e conhecido mas com um toque singular. Se encaixa bem no universo exótico e ao mesmo tempo familiar da coleção da Maison Incens.

English:

It is interesting to note that although the general thematic proposal in the Maison Incens is not innovative as the brand says there is a good aesthetic coherence in all members of the collection and a well made execution of the perfumes so that they fit well in the created characters and universe, making you not pay attention that you are in front of compositions that explore classic notes of perfumery. All the perfumes in the collection have a note of incense that ends up being the connection between them and the name of the house and despite  the incense being not so clear in Figue Aoudii and Figue Eleii it is well evident in its variations in Cuir Erindil, Musc Kalirii and Oud Deneii.

Cuir Erindil is the fragrance created to represent in Artganis Erin Incens, master of the dragons. Erindil is the name of one of the Dragons of Artganis, who were wild and could only be tamed by the aroma of the Erin's perfume. It is described as a powerful and smoky composition, something that actually matches well the proposed creation. The Incense in Cuir Erindil comes in an interpretation around the note of amber, which gives it a sweet, warm and slightly smoky aura. There is a lot going on in Cuir Erindil, starting at the opening, which is exotic and has a fruity tone that remembers the smell of ripe plum. At this stage the perfume has a mixture of fruits and spices that refers to a leather version of the perfume Feminite du Bois. It is possible to perceive a leather accord that is a little animalic and that mixes with the amber incense proposed in the composition. The leather also has slightly medicinal touches and a nuance of birch in its aroma. It is an intense creation, of excellent duration in the skin, an interesting proposal for a master able to dominate dragons only with its aroma.

Musc Kalirii is the fragrance that represents one of the princesses of the kingdom of Artganis. It was created for Anii Incens. Its name is related to one of the birds of the kingdom, the Kalirii, that is described like a bird of appearance similar to the ostrich. The bird's pheromone is used as a powerful tool that makes Anii be seen as the most beautiful of all within the realm. Consistent with this approach, the composition is one of the most exotic and intense of the collection, with an aura that refers to the incense of Indian perfumery. It is a complex blend that resembles the scent of resins, narcotic flowers, sandalwood and amber, an aroma that seems to expand and fill the environment around it. There is something more carnal in the musks used here, a moist animalic touch that is noticeable for a brief moment in the opening of the composition. It mixes with a bit bitter and clean citrus and ends up being masked by the blend of white flowers, which are very carnal and succulent and occupy a good part of the evolution in the skin. Musc Kalirii ends up more contemplative, in a cozy blend of the sandalwood creaminess and the balsamic sweetness that pervades the composition.


Oud Deneii is one of the compositions that the brand does not make very clear the story and what is suggested when researching about it is that it was born from another composition of the brand that is no longer in production, Tabac Licorii. Assuming this premise, it is a composition made for Yanaa Incens, priestess of the OTJ order, responsible for maintaining the balance in Artganis and her scent is exotic and warm at the same time. The incense aura of this composition is clearly associated with one of the bases which is sold to emulate the aroma of the agarwood and which represents it in a more sweet and balsamic form. The tobacco that was previously present in the name is perceptible, but in a secondary way, a spicy, dry touch in the warm sweetness of the warm aroma of the agarwood. The most interesting part is the mate note, which appears at the opening of the composition and gives a herbal and floral aroma to the agarwood, something that briefly reminds me of the greener nuances of Jonquill flower. It is an unusual combination that works very well, something exotic and known but with a singular touch. It fits well into the exotic yet familiar universe of the Maison Incens collection.