Pesquisar este blog

13 de jan de 2017

O'DRIÙ Ven_Det_Ta Ta - Fragrance Review

Português (click for english version):

Chegando ao final da minha jornada por Ven_Det_Ta, é interessante perceber que estamos diante de um perfume que usa uma metalinguagem, pois afinal Angelo critica as coleções simultâneas de lançamentos dos perfumes de nicho e das linhas exclusivas criando uma coleção sobre vingança, algo que se vinga na temática e em sua essência. Mas, mais que  isso, Ven_Det_Ta é um projeto ligado de perfumes que acabam apresentando diferentes facetas sobre a Vingança e que permitem mais de uma leitura entre o conceito e a execução.

A parte final da saga da vingança é Ta e de certa forma é das 3 criações a que une o estilo exótico usável do perfumista com acordes conhecidos na perfumaria comercial. Ta é dos 3 o perfume que possui para mim a energia mais tranquila e linear, com Ven sendo o mais explosivo e complexo e Det estando no meio do caminho no processo da vingança. Em alguns momentos eu chego a pensar que a sentir Ta na pele estou num processo inverso de descoberta da vingança, porém ao mesmo tempo ele me faz pensar também no restabelecimento da ordem e da normalidade depois que o ato foi consumado.

Em Ta temos acordes e notas que são clássicas da perfumaria comercial - as frutas são presentes de uma forma ou de outra em todos os atos da vingança, mas no ato final elas se revelam mais presentes. Não são exatamente doces, há uma certa plasticidade na ideia dos morangos e em acorde frutal aquático que permanece de fundo, quase como um ruído ou uma mensagem subliminar na composição. Elas me fazem pensar tanto na artificialidade das coleções que são criticadas aqui como na artificialidade da própria vingança, que pode causar a sensação de bem estar e de justiça a princípio, mas no fundo não restaura o cenário para o momento antes do ato que a ocasionou. Há um acorde floral abstrato na composição, algo com tons de rosa e tuberosa, a parte que mostra outro lado prazeroso e sedutor da vingança, aqui já executada. E por fim, uma base com tons de musgo, vetiver e cedro restauram a ordem e trazem a calmaria para a escalada de emoções do processo de vingança.

Justamente por essa sequência de aromas eu gosto de pensar em Ven_Det_Ta como uma vingança invertida: a ordem e calmaria em Ta, o processo crescente porém ainda equilibrado de emoções em Det e por fim toda a intensidade e oscilação do prazer e brutalidade em Ven. A ordem das palavras talvez induza a pensar em uma sequência linear, porém é sempre bom lembrar que há algo subversivo e até mesmo um pouco anárquico nas criações de Ângelo. Por isso, a melhor forma de entendê-la é passando pela jornada olfativa - rica em sensações e coesa em sua mensagem.A minha jornada é apenas uma das possíveis leituras no processo de vingança.

English:

Arriving at the end of my journey trhrough Ven_Det_Ta, it is interesting to realize that we are facing a perfume that uses a metalanguage, because after all Angelo criticizes the collections launches of simultaneous niche or exclusive perfumes creating a collection about revenge, something that takes revenge In thematic and in its essence. But more than that, Ven_Det_Ta is a connected project of perfumes that end up presenting different facets about Revenge one that allows more than one reading between the concept and the execution.

The final part of the saga of revenge is Ta and in a way is of the 3 creations the one unites the wearable exotic style of the perfumer with known accords in the commercial perfumery. Ta is the 3 perfume that has for me the most quiet and linear energy, with Ven being the most explosive and complex and Det being halfway in the process of revenge. At times I come to think while presencing Ta in the skin I am in an inverse process of the discovery of revenge, but at the same time it makes me think also in the reestablishment of order and normality after the act was consummated.

In Ta we have accords and notes that are classic of commercial perfumery - fruits are present in one form or another in all acts of revenge, but in the final act they are more present. They are not exactly sweet, there is a certain plasticity in the idea of ​​strawberries and in an aquatic fruity accord that remains deep, almost like a noise or a subliminal message in the composition. They make me think so much about the artificiality of the collections that are criticized here as on the artificiality of revenge itself, which can cause the sense of well-being and justice at first, but in the end it does not restore the scene to the moment before the act that caused it . There is an abstract floral chord in the composition, something with rose and tuberous tones, the part that shows another pleasing and seductive side of revenge, already execute at this point. And lastly, a base with shades of moss, vetiver and cedar restore order and bring the lull to the escalating emotions of the revenge process.


Precisely because of this sequence of aromas I like to think of Ven_Det_Ta as an inverted revenge: the order and calm in Ta, the growing but still balanced process of emotions in Det and finally all the intensity and oscillation of pleasure and brutality in Ven. The order of words may lead one to think of a linear sequence, but it is always good to remember that there is something subversive and even somewhat anarchic in Angelo's creations. Therefore, the best way to understand it is to go through the olfactory journey - rich in sensations and cohesive in its message. Mine is just a take on the overall revenge process.