Pesquisar este blog

28 de jan de 2017

Narciso Rodriguez Bleu Noir, YSL L'Homme Libre e Nuit d'Issey - Resenhas


Mais do que nunca o mercado comercial de perfumaria tem girado em torno dos flankers. Lançar um flanker de um perfume já conhecido e consolidado é um processo que exige menos esforço da grife visto que não é necessário criar novamente um nome, frasco, embalagem e fazer um grande investimento em publicidade. Por isso, não é incomum que vejamos hoje em dia lançamentos de flankers que aproveitam essa estratégia para lançar um perfume novo e praticamente independente do originale 3 deles foram escolhidos para serem analisados hoje:

L'Homme Libre: completando 6 anos no mercado esse ano, um longo tempo para o ritmo frenético de lançamentos, L'Homme Libre já pode ser visto como um perfume de sucesso para a YSL e um que apenas compartilha com L'Homme apenas a mesma dinâmica de frescor de saída versus base amadeirada transparente, algo que se tornou praticamente um padrão do mercado nos últimos anos. A versão Libre aposta em um acorde de violeta interessante, levemente adocicado, mentolado e explorando o lado aromático e herbal da flor sem cair no aquático ou no plástico. Essa ideia é complementada com tons frescos de especiarias, das quais a pimenta rosa acaba se destacando mais. Infelizmente evolui para uma base amadeirada um pouco genérica e com muito musk e não segura as partes mais interessantes da composição.

Narciso Rodriguez Him Bleu Noir: a versão Bleu Noir do Narciso Rodriguez him além de não se relacionar em aroma com o perfume que sua imagem está atrelada é uma colagem descarada de outros perfumes masculinos já bem posicionados e bem sucedidos no mercado. Bleu Noir acaba sendo a saída do Cartier Declaration Essence com e evolução do Terre d'Hermes, apostando em uma saída carregada em cardamomo e especiarias e uma base de vetiver, cedro e musk que não é muito distante do Terre d'Hermes. É combinação que funciona pois ambos os perfumes foram criados por Jean Claude Ellena e possuem acordes em comum, são ideias irmãs em grifes diferentes. Infelizmente a mistura não trás nada de novo ou interessante e faz apenas sentido caso você não tenha nenhum dos dois originais ou goste da saída de um com a evolução do outro.

Nuit d'Issey: Issey Miyake é basicamente uma grife que vive de flankers de seus best-sellers comerciais e que sabe fazer versões bem distintas do clássico da qual derivam. Nuit d'Issey é um exercício interessante de transposição do aroma aquático do L'Eau d'Issey Pour Homme para o acorde amadeirado seco e ambarado que tem dominado os lançamentos masculinos nos últimos anos. Apesar da parte amadeirada e mais pesada já ser perceptível logo na saída, uma leve pitada do frescor aquático do original quebra o peso dela e introduz um acorde especiado e com tons de baunilha que de fato soa noturno e se encaixa com o que tem sido feito ultimamente. Este poderia ter sido a alguns anos atrás a versão Intense do L'Eau d'Issey Pour Homme.