Pesquisar este blog

29 de dez de 2016

Retrospectiva 2016 - Parte 2

Talvez a impressão de muitos ao se deparar com a primeira parte da retrospectiva de 2016 no blog foi com relação a quantidade de perfumes pouco conhecidos que foram selecionados. Durante esse ano um grande questionamento que eu tive pessoalmente foi o de tentar balancear o conteúdo do blog e incluir mais perfumes comerciais e acessíveis. Porém, no fim das contas essa ideia foi deixada de lado. Em um mundo repleto de blogs e vlogs onde as pessoas falam justamente do que é conhecido, qual é o sentido de ter mais um para falar as mesmas coisas? Meu interesse sempre foi nos esquecidos, ignorados, difíceis de encontrar, em falar sobre tais criações, chamar a atenção para o que eles tem a dizer. E é também bom ressaltar que por mais que muitos dos perfumes cobertos aqui não estejam prontamente disponíveis, com um pouco de paciência e acesso a pagamentos internacionais nada é impossível de se conseguir. Essa lista, assim, funciona como um highlight de tudo que foge o popular e que eu recomendo, mesmo que seja apenas para ir atrás de uma amostra e enriquecer as experiências pessoais.

Observação: clique no nome do perfume na lista para abrir a avaliação do mesmo em uma nova janela.

11. Aedes de Venustas Copal Azur



A loja nova-iorquina especializada em perfumes exclusivos e de nicho tem criado uma linha sólida de perfumes com o seu próprio nome, sem pressa de crescer e pensando mais na qualidade e atemporalidade de sues perfumes. Copal Azur, de 2014, foi um destaque no blog em 2016, um perfume luxuoso de incenso que se mantém na temática misteriosa de tal nota porém de uma forma complexa e cheia de texturas. É um perfume que aposta na qualidade, harmonia e luxo para se destacar. Uma belíssima criação do perfumista Bertrand Duchaufour

12. Guerlain L'Homme Ideal EDP



Eu diria que de forma geral 2016 foi um ano muito decepcionante para Guerlain, um ano que vimos a casa perder riqueza estética tanto em termos de apresentação como em termos olfativos, uma troca da essência da casa pelo dinheiro fácil e pela redução de custos. Ainda sim, L'Homme Ideal na concentração EDP foi uma das surpresas do ano e um perfume que vai contra isso. Em vez de focar no que o mercado dita e criar uma versão masculina ainda mais potente de rastro nuclear, Wasser explora na concentração EDP o lado mais clássico da assinatura de baunilha, amêndoas e couro em uma composição que vai crescendo aos poucos e criando uma aura sedutora sofisticada. Esse é o tipo de perfume que deveria ser a regra e não a exceção da casa ao longo de qualquer ano.

13. Mendittorosa Nettuno



Certamente Nettuno foi uma das criações mais aguardadas em 2016 de uma marca que me conquistou em 2015 por uma perfumaria pessoal, rica em texturas e fiel aos conceitos mais místicos apresentados. Nettuno não decepcionou com sua interpretação contemplativa da iris, uma que começa mais aerea, levemente marinha e que cresce aos poucos com uma aura oriental luxuosa, moderna em seu uso generoso de musks envolventes. É um perfume que faz justiça ao planeta no qual ele se inspira.

14. Zoologist Perfumes Nightingale



Conforme mencionado na parte 1 dessa retrospectiva o ano de 2016 foi um ano grande para a indie Zoologist parfums e que nos brindou com 2 maravilhosas criações - Macaque e Nightingale. Apesar de ambos merecem o destaque nessa lista, para dar mais espaço para outras criações escolhi apenas Nightingale, que surpreendeu pela capacidade que o perfumista Tomoo Inaabe teve de trazer de volta a vida e em grande estilo um dos perfumes descontinuados mais raros e cobiçados, o belo e rico floral chypre do Shiseido Nombre Noir. Para quem sente falta da riqueza e glamour da perfumaria clássica, eu recomendo esse aqui.

15. O'driu Italian Angel



Certamente 2016 foi um ano onde pessoalmente pude rever preconceitos e implicâncias com determinadas marcas e uma delas foi a italiana indie Odriu. Ao isolar a performance teatral de Angelo Orazio de seus conceitos e criações pude perceber uma perfumaria emocionante e rica e que me conquistou e inspirou a escrever. Italian Angel é para mim um perfume dramático, rico e complexo em seu aroma que passa por flores, frutas, cítricos, especiarias e elementos fougere. Um perfume que explora um esteriótipo com maestria e sem medo e que me levou a querer conhecer todas as outras criações da casa.

16. L'Acqua di Fiori Hit 


Em termos de perfumaria nacional 2016 foi um ano onde vimos, devido a crise econômica, muitos lançamentos que apostaram em mais do mesmo e que não merecem ser destacados. Entretanto, foi um ano onde conheci os perfumes da L'Acqua di Fiori e me encantei com Hit, uma criação de aura clássica que hoje é praticamente uma raridade de ser vista. Para quem curtes perfumes que tenham um aspecto aldeídico com um bouquet floral clássico em uma base de musk e madeiras, Hit é uma opção acessível e fácil de usar e que merece não apenas ser destacada como conhecida.

17. L'Artisan Parfumeur Bucoliques de Provence



Em 2016 pudemos ver principalmente na perfumaria de nicho uma tendência ganhando força: o retorno ao clássico e ao berço da perfumaria francesa, na região de Grasse e arredores. Bucoliques de Provence é um excelente exemplo de que isso pode ser feito com muito luxuoso e performance, em uma criação que é capaz de deixar as conotações funcionais da lavanda e trazer-lhe riqueza ao equilibrá-la com um belo acorde de iris e uma base macia e sofisticada de musks e couro. Bucoliques também surpreende por ser, diferente de muitos L'artisan, um perfume que dura muito bem na pele.

18. Andy Tauer Lonesome Rider



Em um mercado cada vez mais competitivo e cheio de novos concorrentes Andy Taeur tem se destacado ano após ano por se manter fiel a sua estética oriental luxuosa e marcante. 2016 nos brindou com um outra obra-prima da marca com Lonesome Rider, uma espécie de irmão em aroma e temática para um dos meus prediletos do perfumista - Lonestar Memories.Temos uma composição que explora um delicioso acorde de couro com uma pegada mais vintage ao mesmo tempo que lhe acrescenta tons modernos de um acorde que remete a oud. Basicamente, Tauer fazendo o que sabe fazer melhor.

19. Parfum d'Empire Tabac Tabou

Resultado de imagem para parfum d'empire tabac tabou

Nos anos de 2015 e 2016 pode ser observado uma espécie de mini tendência oportunista que procura explorar o exótico e precioso absoluto da flor de Narciso em perfumes que nem sequer tentam chegar perto de seu cheiro. Tabac Tabou é uma exceção a essa regra e um dos que de fato você pode presenciar a excelência de materiais raros nas mãos talentosas de um perfumista. Um perfume incrível e luxuoso que combina as nuances verdes e exóticas da flor de Narciso ao aroma exótico e delicioso do mel, tabaco e da sempre viva. Um perfume que entrega o luxo que vende com maestria.

20. Pell Wall Perfumes Jacinth



Entre o conceitual moderno e o clássico bem feito e atemporal para mim o clássico sempre se destaca - prefiro luxo e riqueza a pirotecnias que não levam a lugar algum. A Pell Wall Perfumes do britânico Chris Bartlett é repleta de bons clássicos elegantes e usáveis e Jacinth é um dos perfumes que em 2015 já me chamou a atenção e que em 2016 eu pude testar e comprovar a excelência de seu acorde limpo, sofisticado e que faz uma bela interpretação da flor Jacinto. Certamente um floral que pode conquistar o público masculino pelo seu perfil mais metálico, seco e limpo e super confortável.