Pesquisar este blog

10 de nov de 2016

Amberfig EDP - Fragrance Review


Comparado com a concentração Extrait, a versão EDP do perfume de comemoração dos 2 anos da Amberfig mostra muito mais claro um acorde de figo na saída e um acorde mais clássico de ambar na base. Também tenho a impressão de que essa versão é mais voltado para quem gosta de perfumes doces e encorpados. Porém, eu sinto que há algo no meio do caminho no aroma que é confuso e que parece não se encaixar bem no conjunto da obra.

Minha percepção com relação a perfumes de figo é que ou eles vão para uma saída verde, fresca e leve ou apresentam o figo de uma forma mais gourmand (algo que começou a aparecer um pouco mais depois da criação do Thierry Mugler Womanity). A versão EDP do Amberfig junta os dois em um efeito que é, no mínimo interessante. A minha percepção é a de um licor açúcarado de figo que consegue trazer tanto a doçura como o aroma verde e ardido da fruta e suas folhas.

Quando passa essa sensação, o perfume vai em uma fase que é agradável mas que lhe falta identidade. Outro aroma frutal se destaca, mas é um que não diz bem claramente a que veio e que não se encaixa no perfil das criações da marca. As flores que vem também são agradáveis, com um quê powdery, mas nada muito interessante também.

Na base o aspecto resinoso, incensado e mais denso de outras criações do David ganha a pele e representa com mais clareza a parte de ambar, algo que não fica muito evidente no extrato. É interessante que há algo com um leve quê de frescor de lavanda e que me faz pensar mais uma vez em um perfume de Serge Lutens, Fourreau Noir. Se Amberfig fosse direto da saída para a base seria um perfume perfeito. Sua fase intermediária, porém, faz com que ele perca força no meio do caminho.