Pesquisar este blog

3 de set de 2016

Daniel Barros Barista Yuzucello - Fragrance Review


Português (click for english version): 

Apesar de não ser um tema novo na perfumaria a criação de composições inspiradas em drinques famosos nunca teve todo o seu potencial devidamente utilizado dentro de uma coleção. O Fragrance Coach da Ego In Vitro e Perfumista Independente Daniel Barros resolveu ir além do uso de bebidas como notas ou interpretações literais e fazer algo criativo e complexo em sua coleção Barista, algo que explorasse diferentes famílias olfativas ao longo de 12 criações centradas cada uma em uma bebida famosa. E de todas as composições, para mim Yuzucello funciona como uma espécie de introdução ao conjunto.

Estamos diante de um perfume que é um híbrido entre um cítrico e um gourmand, algo que se encaixa perfeitamente na bebida que Yuzucello se inspira. Limoncello é um licor italiano produzido com as cascas do limão Femminello Santa Teresa que são mergulhadas em álcool retificado para extrair seu óleo, com o resultado final sendo misturado a xarope de açúcar. O contraste entre o aspecto açucarado e licoroso e o aroma alcoólico cítrico adstringente é o que torna a bebida tão agradável e é representado com cuidado em Yuzucello.

Eu percebo 3 facetas principais que moldam o aroma de Yuzucello do começo ao fim na pele. A primeira delas está relacionada a faceta cítrica da composição, que trás o aspecto ácido do limão, o aroma refrescante e a nuance floral cítrica que dá corpo a composição e sustenta o ideia do limão na pele. Esse é representado de forma mais complexa e rica pelo uso do Yuzu, um dos cítricos mais raros e pouco explorados na perfumaria. A segunda principal faceta está relacionado ao aroma gourmand, construído principalmente ao redor de um aroma de baunilha e açúcar. Eles criam a textura licorosa e açucarada da bebida, suavizam o lado mais áspero do Yuzu e acrescentam um aspecto pouco explorado em criações predominantemente cítricas. Por fim, temos mais na base um lado mais amadeirado e áspero, composto um misto de lascas de madeira, âmbar e tons de tabaco. Essa faceta contribui para que Yuzucello não se torne doce demais, ajuda a fixar a composição e reforça de forma sutil o lado mais ácido do aspecto de limão da bebida.

Yuzucello como todo bom cítrico tem uma explosão de aromas nos primeiros minutos na pele, mas retem bem esse frescor adocicado pelas próximas horas. Seu aroma acaba se transformando em um gourmand equilibrado e de nuances amadeiradas que não é muito enjoativo e é bem agradável de ser sentido na pele. Um belo perfume.

Although not being new theme in perfumery creating perfumes inspired by famous drinks never had its full potential properly used within a collection. Ego In Vitro Fragrance Coach and Indie Perfumer Daniel Barros decided to go beyond the use of drinks as notes inside a composition or literal interpretations and do something creative and complex in its Barista collection, which explore different olfactory families over 12 creations centered each on a famous drink. And of all the compositions, for me Yuzucello works as a kind of introduction to the set.

We are facing a perfume that is a hybrid between a citrus and gourmand, something that fits perfectly into the drink Yuzucello is inspired. Limoncello is an Italian liqueur made with Femminello Santa Teresa lemon zests that are dipped in rectified alcohol to extract its oil, with the end result being mixed with sugar syrup. The contrast between the sweet and syrup gustative texture and the astringent citrus alcoholic part is what makes this drink so delicious and is represented with care in Yuzucello.

I see three main facets that shape Yuzucello flavor from start to finish on the skin. The first aspect is related to the citrus facet in the composition, which brings the lemon acid part, the freshening impression a floral citrus nuance that embodies the composition and supports the lemon idea on skin. This is shown in a more complex and rich interpretation by the use of yuzu, one of the rarest citrus unexplored in perfumery. The second principal facet is related to a gourmand aroma mainly built around a vanilla and sugar. They create a licquer like and sugary drink impression, soften the rougher edges of Yuzu and add an aspect little explored in predominantly citrus creations. Finally, we have in the basenotes a more woodsy and rough side, comprising a mixture of wood chips, amber and tobacco tones. This aspect contributes to Yuzucello  not become too sweet, helps to fix the composition and reinforces subtly the more acidic lemon side aspect of the drink.

Yuzucello like any good citrus has an explosion of aromas in the first minutes on the skin, but retain well this sweet freshness in the next few hours. Its aroma ends up turning into a balanced gourmand of woody nuances that is not too cloying and it's quite nice to be felt on the skin. A beautiful scent.