Pesquisar este blog

5 de set de 2016

Daniel Barros Barista Gincenso - Fragrance Review


Pesquisando sobre o Gim acabei aprendendo que essa bebida é praticamente um perfume completo entre as bebidas alcóolicas dado a quantidade de elementos aromáticos que podem ir, isso sem contar as várias versões que dela existem. O que todas elas possuem em comum, entretanto, é a utilização do zimbro/junípero como parte essencial de sua formulação, especiaria da qual seu nome deriva. O Zimbro é o elemento principal também em Gincenso, que em sua cor se aproxima do London Dry Gin mas que em seu perfil aromático é como se fosse uma mistura desse com um Plymouth Gin, uma variação mais amadeirada e terrosa.

De todos os perfumes da coleção Barista Gincenso é o que possui a sua aura olfativa mais próxima da perfumaria masculina comercial, porém feito com um uso de ingredientes naturais que você nunca encontraria em um perfume assim. O uso de elementos estruturais sintéticos como o iso e super dá aquela qualidade mineral amadeirada e aconchegante que é bem agradável e duradoura. Sobre ela é construído um perfil aromático e spicy que flerta em diversos momentos com um fougere clássico.
Gincenso abre com um contraste entre um aroma mais anisado, mentolado e cítrico e um aroma mais picante, seco e com nuances de abeto. Já é possível perceber de fundo o aroma mineral aconchegante aparando as arestas desse contraste mais complexo da saída. Ele evolui para um coração floral que flerta com o fougere pela presença marcante do gêranio, uma das poucas flores clássicas da perfumaria masculina pelo seu perfil herbal, verde e com nuances de rosa. O seu aspecto mais mentolado acaba servindo como uma ponte para a última fase da evolução.

É depois de umas duas a três horas na pele que se percebe de forma mais clara as nuances terpênicas e o aspecto esfumaçado do incenso, que ainda sim tem seu lado mais fresco e mentolado presente de forma discreta nessa última fase. A resina de elemi reforça essa sensação de incenso, porém acrescentando um lado levemente adocicado. E por fim, gincenso encerra a composição com os seus elementos mais estruturais, as madeiras de aspecto mineral e terroso que eram perceptíveis na saída. Ela encerra mostrando muito bem que é possível construir sobre materiais bem conhecidos e muito utilizados um conceito bem elaborado, abstrato e fidedigno a bebida escolhida para sua representação.

English:

Searching on Gin i  just learned that this drink is almost a complete scent among the alcoholic beverages given the amount of aromatic elements that can go, not to mention the various versions of it that exist. What they all have in common, however, is the use of juniper as an essential part of its formulation, an spice from which its name derives. Juniper is the main element also in Gincenso, which in its color approaches the London Dry Gin variation but in its aromatic profile is like a mixture of this with a Plymouth Gin, a more woody and earthy one.

Of all the perfumes of the Barista collection, Gincenso is what has its closest olfactory aura of commercial men's perfumes, but done with a use of natural ingredients that you would never find in this kind of perfume. The use of synthetic structural elements such as iso e super gives a woody and warm mineral quality that is very pleasant and lasting. On it is built an aromatic and spicy profile flirting at various times with a classic fougere.
Gincenso opens with a contrast between a more aniseed, menthol and citrus aroma and one more spicy , dry and with fir nuances. It is possible to see at the background of the warm mineral aroma trimming the edges of this more complex contrast of the opening. It evolves into a floral heart that flirts with fougere by the strong presence of geranium, one of the few classic flowers of male perfumery used a lot due its herbal , green and rose-like aromatic profil. Its most minty aspect ends up serving as a bridge to the final stage of evolution.

It is after about two to three hours on the skin that can be seen more clearly the terpene nuances and smoky aspect of incense, but still has its cooler side and minty present discretely in this last phase. The resin elemi reinforces this sense of incense, but adding a slightly sweet side. Finally, gincenso closes the composition with its more structural elements, mineral and earthy look of wood that were noticeable in the output. It ends showing very well that you can build on well-known and widely used materials an elaborate concept, abstract and faifhtful to the drink chosen for its representation.