Pesquisar este blog

22 de ago de 2016

Explorando a Coleção: Versace Blonde Eau Fleurie e Versace Man


Português (click for english version):

Dentre as grifes de moda eu sempre tive a impressão que a Versace é uma das menos valorizadas quando se trata da sua coleção de perfumaria, o que de certa forma eu acho injusto. Os perfumes descontinuados da Versace - com algumas exceções - não costumam atingir valores estratosféricos como o de outras casas italianas (como Armani e Gucci, por exemplo), mas o acervo histórico da marca possue criações bem interessantes, indo do mais clássico ao mais exótico e ousado. Mesmo com a morte de Gianni Versace sua irmã Donatella tentou manter a mesma linha extravagante e luxuosa de seu irmão na perfumaria, mas com o tempo acabou cedendo as pressões do mercado e caindo no mais comercial e fácil de agradar. Escolho 2 criações da Versace que vão justamente na contramão do fácil e descomplicado e que honram na minha opinião o verdadeiro estilo da marca.

Versace Blonde Eau Fleurie: para quem conhece um pouco da biografia de Gianni Versace não é nenhum segredo sua relação íntima e forte com sua irmã Donatella e por isso não me surpreende que sua composição de 1995 tenha sido estrelada e  provavelmente dedicada a ela. Blonde na minha opinião nasceu  na década errada, é um floral maior que a vida típico dos anos 80 e que teria feito sucesso nessa década. Mesmo a versão mais delicada - eau fleurie, reflete esse aspecto voluptuoso, quente, sedutor e único das flores brancas. Essa versão me parece girar ao redor de um belíssimo buquê de gardênias, uma flor nem sempre muito fácil de acertar na criação. A versão Eau Fleurie consegue encontrar um equilíbrio entre a suculência do aspecto frutal, o aroma mais floral narcótico que remete a jasmim e os tons lactônicos e cêrosos, todas facetas que para mim um bom acorde de gardênia deve ter. É possível perceber algo de jasmim, tuberosa e até mesmo de ylang atuando como coadjuvantes e enaltecedores desse luxuoso ode.  A Base da versão Eau Fleurie completa o tom exótico focando em uma mistura de baunilha, incenso, resinas e musks e segura por um bom tempo o buquê floral branco na pele. A ideia de certa forma está ligada a beleza exótica da Medusa (antes de sua punição pela Deusa Atena na mitologia) e as flores brancas acabam representando também a dualidade de sua beleza - algo ao mesmo tempo virginal e erótico.

Versace Man: esse é o primeiro grande perfume da casa Versace lançado sob a direção criativa de Donatella e 6 anos após o assassinato de seu irmão. Nesse meio tempo tenho a impressão de que a marca trabalhou mais focada em linhas secundárias de sua perfumaria - flankers da linha jeans, a linha jeans couture, os perfumes v/s e versence. Nenhum deles um pilar na casa Versace até o lançamento, em 2000, de Versace Woman, e em 2003 do seu parceiro masculino. Versace Man é certamente um dos meus favoritos da casa e uma das fragrâncias comerciais que acabando um frasco eu reponho por outro. Não é um perfume para qualquer homem, mas também não é um oriental ultra-exótico impossível de usar. É um aroma extravagante para mim, algo que explora nuances florais de laranjeira em contraste com um acorde especiado de tabaco e açafrão, um contraste entre cítrico floral e spicy floral. A base é uma mistura de ambar, vetiver e musk que se mostra um pouco amadeirada e seca ao mesmo tempo que é um pouquinho doce. Há algo no aroma de Versace Man que passa mesmo a impressão púrpura, algo sinestésico com a cor de seu frasco. Assim como Blonde, Versace Man também esteve fora de seu tempo, só que adiantado em vez de atrasado, já que seu estilo de composição mais chamativo e extravagante é um precursor mais sofisticado da tendência de perfumes intensos em tabaco, ambar e especiarias.

English:

Among the fashion brands I always had the impression that Versace is one of the least valued when it comes to their fragrance collection, which somehow I think it is unfair. The discontinued Versace's fragrances - with some exceptions - do not usually achieve stratospheric values ​​like the other Italian houses (such as Armani and Gucci, for example), but the historical collection of the brand possesses very interesting creations, from the most classic to the most exotic and daring . Even with the death of Gianni Versace his sister Donatella tried to keep the same extravagant and luxurious line of his brother in perfumery, but eventually gave in to market pressures and falling in the commercial and easy to please.  Today i  pick 2 creations from Versace that goes just against the easy and uncomplicated and that honor in my opinion the true style of the brand.

Versace Blonde Eau Fleurie: for those who know a bit of Gianni Versace's biography is no secret its close and strong relationship with his sister Donatella and I am not surprised that his 1995 composition was starry and probably dedicated to her. Blonde in my opinion was born in the wrong decade, is a floral greater than the typical life of 80 years and would have been successful in that decade. Even the most delicate version - Eau Flerie - reflects this avoluptuous, warm, seductive aspect  singular aspect of white flowers. This version seems to turn around a beautiful bouquet of gardenias, a flower not always easy to hit successfuly in creation. The Eau Fleurie version manages to find a balance between juiciness of fruity aspect, the more floral  narcotic aroma of jasmine nuances and the waxy and lactonic tones, all facets that to me a good gardenia accord should have. You can see something of jasmine, tuberose and ylang even acting as supporting and uplifting this luxurious ode. The base of Eau Fleurie version complete the exotic tone focusing on a blend of vanilla, incense, resins and musks and hold on for a long time the white floral bouquet on the skin. The idea is somehow ​​related to the exotic beauty of the Medusa (before her punishment by the Goddess Athena in mythology) and the white flowers also end up representing the duality of her beauty - something both virginal and erotic.

Versace Man: This is the first major perfume house Versace released under the creative direction of Donatella and 6 years after the murder of his brother. In the meantime I have the impression that the brand has worked more focused on secondary lines of itsperfumes - flankers of jeans, the jeans couture line, perfumes v / s and versence. None of them a pillar in the house Versace until the launch, in 2000,  of Versace Woman and in 2003 of her male partner. Versace Man is certainly one of my favorites of the house and one of the few commercial fragrances that after i finish a bottle i purchase another one. This is not a scent for any man, but it is not an ultra-exotic oriental impossible to use. It's a fancy aroma to me, something that explores floral nuances of orange blossom in contrast to a spicy tobacco and saffron accord, a contrast between floral citrus and floral spicy. The base is a mix of amber, vetiver and musk that shows itself a little bit woody and dry while it is a slightly sweet aspect. There is something in Versace Man aroma that even passes a purple impression, something kinesthetic with the color of its bottle. As Blonde, Versace Man was also out of its time, only early rather than late, as its more flamboyant and extravagant composition style is a more sophisticated forerunner of the trend of current intense perfumes created around tobacco, amber and spices.