Pesquisar este blog

11 de ago de 2016

Explorando a coleção: Jaipur Pour Homme EDP e Boucheron Pour Homme EDP



No meu texto de ontem da série Explorando a Coleção comentei o como os perfumes da Donna Karan lançados na década de 90 e início dos anos 2000 poderiam fazer parte de uma coleção de nicho devido ao aroma mais exótico e diferente do que rolava na tendência aquática e minimalista desse período.  Eu vejo a perfumaria da joalheria Boucheron de forma similar, algo mais sofisticado, arriscado para a tendência da época e capturando gostos bem específicos. É interessante que em uma época onde não se falava e lançava perfume masculino na concentração EDP a Boucheron criou essa concentração para os seus dois lançamentos masculinos. Tanto Jaipur como Boucheron Pour Homme, avaliados hoje, são dignos da riqueza de detalhes e intensidade que um EDP tem como fama.

Boucheron Pour Homme EDP: lançado no início dos anos 90, o primeiro perfume masculino da Boucheron me parece ter uma influência clara dos estilos chypre e fougere predominantes na década de 80, trabalhando-os em um contexto mais cítrico e clássico na concentração EDT. A EDP, porém, arrisca em seguir um caminho floral cítrico que para muitos deve soar bem formal e maduro mas que para mim soa simplesmente luxuoso e rico. Essa concentração trabalha no limite do aroma de limão, verbena com o das flores de néroli e de cravo, formando um contraste cítrico, powdery, brilhante e bem marcante. Há a presença bem clara para mim de elementos chypres na base, uma aroma macio, fofo e terroso de musgo, com madeiras, vetiver, ambar e musks. Boucheron Pour Homme EDP ficou  marcado na minha memória como o perfume que usei quando conheci Buenos Aires e ele assim me remete ao ar sofisticado e meio europeu de alguns lugares dessa cidade.

Jaipur Pour Homme EDP: quando comecei a me interessar e colecionar perfumes por volta dos meus 17-18 anos me lembro que na busca por perfumes sofisticados me foi indicado Jaipur. Acabei conseguindo tanto a versão EDT como a EDP dele e ficando ao longo do tempo apenas com a EDP, que se mostrava ainda mais luxuosa e fascinante. Enquanto muito do que foi feito na década de 90 segue o princípio do menos é mais Jaipur Pour Homme EDP é da teoria de que quando se trata de luxo mais é mais. Ainda mais quando esse luxo leva o nome de uma das cidades da Índia que foi em seu passado a capital da realeza. Esse é um perfume digno de um príncipe de fato, uma composição oriental que não economiza em canela, cravo, fava tonka e cardamomo. O cheiro é quente, picante, até um pouco seco e amêndoado de uma forma meio medicinal em alguns momentos. Os cítricos entram para trazer um frescor mais clássico, levemente amargo e até mesmo um pouco atalcado. Há elementos florais bem sutis utilizados aqui para arredondar e deixar a composição ainda mais sensual e marcante. A base é bem equilibrada entre o aspecto mais ambarado e doce de um oriental e um aroma com tons de musk e madeiras mais secas. Esse tipo de luxo que Jaipur Pour Homme vende, ainda mais na concentração EDP, não é e nunca será um luxo massificado. É uma raridade na perfumaria comercial - vale a pena caçar uma versão antiga dele para o conhecer em sua formulação original, sem restrições.

English:

In my yesterday text of my Exploring the Collection serie I commented that Donna Karan perfumes launched in the 90s and early 2000s could be part of a niche collection due to the more exotic aroma and different than what was happening in the aquatic and minimalist trend of that period. I see that the perfumery of jeweler Boucheron goes similarly into something more sophisticated, risky to the trend of the time and capturing very specific tastes. It is interesting that in an era where there was no talk and launch of male perfume in EDP concentration Boucheron created this concentration to its two male releases. Both Jaipur as Boucheron Pour Homme review today are worthy of the wealth of detail and intensity that EDP's concentration is famous for.

Boucheron Pour Homme EDP: launched in the early 90s, the first male Boucheron perfume seem to have a clear influence of chypre fougere and styles predominant  in the 80s, working them in a more classic citric context in concentration EDT. EDP, however, risks to follow a citrus floral path that for many may sound very formal and mature but which to me just sounds luxurious and rich. This concentration works in the limite of lemon and verbena aroma with the one of neroli and carnation flower, forming a contrast of aroma which is citrus, powdery, bright and striking. There is a clear presence to me of chypre elements in the base, a soft, fluffy and moss earthy aroma with wood, vetiver, amber and musks. Boucheron Pour Homme EDP was marked in my memory as the perfume I used when I met Buenos Aires and it just brings me to the sophisticated and european through some places of this city.

Jaipur Pour Homme EDP: when I became interested about perfume  and  started collecting it around my 17-18 years I remember that in the search for a sophisticated perfume Jaipur was indicated to me. I ended up getting both the EDT as it EDP version and getting over time only with the EDP, which showed to be even more luxurious and glamorous. While much of what was done in the 90s follows the principle of less is more Jaipur Pour Homme EDP is of the theory that when it comes to luxury more is more. Especially when that luxury takes its name from one of the cities in India that was in its past the capital of the royalty. This is a scent worthy of a prince in fact, an oriental composition that does not skimp on cinnamon, cloves, cardamom and tonka bean. The smell is hot, spicy, even a little dry and almond in a somewhat medicinal form at times. The citrus come to bring a more classic freshness, slightly bitter and even a little powdery. There are very subtle floral elements used here to round and leave the composition even more sensual and striking. The base is well balanced between the an ambery and sweet oriental aroma with musk tones and dry woods. The kind of luxury Jaipur Pour Homme sell, even in EDP concentration,  is not and will never be a mass-luxury. It is a rarity in commercial perfumery - worth hunting an old version of it to know in its original form without restrictions.