Pesquisar este blog

7 de jun de 2016

Parfums Volnay Ambre de Siam - Fragrance Review


Português (click for english version): 
Uma coisa que não mudou no gosto do consumidor contemporâneo em relação ao consumidor da década de 1920 é a predileção pela combinação de baunilha, labdanum e benjoim que confere o aroma quente, adocicado e envolvente pelo qual conhecemos como âmbar. Muitos sintéticos foram desenvolvidos nesse meio tempo e que levaram a ideia original para diferentes nuances, porém a marca manteve-se fiel aos seus princípios de honrar sua tradição e história e desenvolveu uma abstração ambarada clássica capaz de encarnar o fascínio dos anos 20 com o oriente e a fantasia de aromas ricos e barrocos que se desenvolveu durante esse período.

O que temos de mais novo e moderno em Ambre de Siam é a escolha de uma extração diferente do aroma de gengibre que se encaixa muito bem na dinâmica oriental powdery desenvolvida em Ambre de Siam. A forma como Amelie Bourgeois o utiliza é bem interessante. A perfumista trabalha ao redor não apenas do aroma picante do gengibre, mas ressalta seu lado mais cítrico e clássico e suas nuances florais secundárias, algo que remete de forma bem discreta a um aroma entre o gerânio e a rosa. O Gengibre acaba trazendo tanto um frescor moderno inesperado como uma faceta vintage e uma ligação forte com a cultura oriental que Ambre de Siam homenageia.

A Parfums Volnay tem trabalhado de forma bem coerente a sua assinatura olfativa em seus diversos perfumes e em Ambre de Siam isso não é diferente. O aspecto powdery, adocicado e macio se mistura ao cheiro do labdanum, baunilha e benjoim criando uma sensação abstrata, quente e com uma doçura adulta. Quando parece que Ambre de Siam terminou de evoluir, temos uma segunda fase, um pouco mais moderna, com um patchouli limpo, do tipo usado em chypres modernos, junto com musk e um acorde de ambergris, criando uma aura menos ambarada de menos peso e maior luminosidade, algo que se mantém na pele o dia todo.

Ambre de Siam pode parecer um pouco simples a princípio, mas isso se deve a potência dos principais materiais que entram em sua composição para recriar a aura clássica de seus tempos originais. Suas nuances são bem trabalhadas e diversas e o revivem em tempos modernos com a mesma característica de um clássico, que é a de contar várias vezes a mesma história e cada vez que borrifamos nos permitir sentir diferentes detalhes de seu enredo.

English: 

One thing that has not changed in the contemporary consumer tastes compared to the consumer of the 1920s is the predilection for the combination of vanilla, labdanum and benzoin which gives the warm, sweet and engaging aroma by which we know as amber. Many synthetics were developed in the meantime and that led the original idea into different nuances, but the brand has remained true to its principles to honor its tradition and history and developed a classic amber abstraction able to embody the allure of the 20s with the east and the fantasy of rich and baroque aromas that developed during this period.

What we have as new and modern in Ambre de Siam is the choice of a different extraction of ginger aroma that fits very well in the oriental powdery dynamic developed in Ambre de Siam. The way Amelie Bourgeois uses it is very interesting; the perfumer works around not only the fresh spicy ginger aroma, but highlights its most citrus and classic side and also its secondary floral nuances, which nods in a very discreet way to a scent of geranium and rose. Ginger just bringing both a modern unexpected freshness as a vintage aspect and a strong link with the Eastern culture that Ambre de Siam honors.

Parfums Volnay has worked well consistently its olfactive signature in its various scents and in Ambre de Siam this is not different. The powdery, sweet and soft aura mingles with the scent of labdanum, vanilla and benzoin creating an abstract, warm and an adult sweetness sensation. When it appears that Siam Ambre finished to develop we have a second phase, a little more modern, with a clean patchouli, of the type used in modern chypre, along with musk and an ambergris accord, creating an amber aura of less weight and with stronger brightness, which remains on the skin all day.

Siam Ambre may seem rather simple at first, but this is due to the power of the main materials used in its composition to recreate the classic aura of their original times. Their nuances are well crafted and diverse and the scent is revived in modern times with the same characteristic of a classic, which is to tell the same story several times and each time we spray it it allow us to feel different details of its plot.