Pesquisar este blog

17 de jun de 2016

Jacomo Silences Vintage E Annick Goutal Heure Exquise - Fragrance Reviews


Português (click for english version):

A perfumaria comercial feminina recente quase nos faz esquecer que no passado havia maior liberdade e menos clichê para a mulher quanto ao que ela deveria usar. Se hoje parece que um perfume feminino tem que ser açucarado ou cheirar a salada de frutas ou a flores que tem suas nuances mais complexas removidas no passado a perfumaria feminina ia do floral delicado ao aroma de couro e especiarias tal como vemos em criações como Bandit e Tabac Blond por exemplo. Uma categoria em especial do passado que se destaca pelo seu caráter distinto são os florais verdes, perfumes que demonstram como você pode colocar flores em um contexto herbáceo, um pouco amargo, metálico e fresco. É um gênero que despontou com Vent Vert de Balmain e que se destacou com o excelente Chanel No 19. Silences e Heure Exquise são dois excelentes perfumes femininos diferentes que descendem diretamente do aroma floral verde e herbáceo do Chanel No 19.

Silences é um grande achado, o tipo de perfume que hoje seria lançado por uma marca de nicho e custando mais de 200 dólares. Apesar de ser relativamente barato, não é um perfume pobre em nuances ou com pouco dinheiro para a fórmula. É uma composição sofisticada cuja a versão vintage envelheceu muito bem aos anos e não perdeu sua graça. Tal qual o No 19 o foco aqui é justamente no constraste entre o aspecto herbáceo e amargo do gálbano, que remete a grama cortado, em justaposição ao aroma terroso e macio da iris. Silences me parece explorar mais o aspecto metálico na ideia, usando o aroma da flor jacinto como diferencial. O Gálbano também me parece formar uma base mais terrosa e com nuances de couro. Pode não ser um perfume tipicamente feminino na modernidade mas dá um excelente aroma masculino, sóbrio, complexo e que não perde a coerência do seu cheiro do começo ao fim. Fixação e projeção são excelentes durante toda a evolução.

Heure Exquise parece explorar a ideia do aroma floral verde de uma forma mais delicada e romântica, o que combina com o espírito clássico da marca Annick Goutal. A Rosa é o destaque aqui e são justamente suas nuances verdes que são ressaltadas em meio a iris e o aroma herbal e de grama do gálbano. É possível também perceber logo na saída o aspecto acetinado das pétalas de rosa junto com o aroma de grama cortada, como se a rosa tivesse sido colhida com as suas folhas junto. A iris é trabalhada de uma forma a favorecer mais seu lado powdery que o terroso, porém o terroso ainda é explorado aqui. Na base Heure Exquise se mostra mais almiscarado e pontuado por um pouco do aroma amadeirado de vetiver. A delicadeza de Heure Exquise na concentração edt certamente o torna menos difícil de ser apreciado logo de cara, porém lhe rouba parte da impressão marcante que é bem presente em Silences. É outra excelente criação para ser compartilhada e um dos Annick Goutal com pouco destaque entre o público.

English:

The current mainstream female perfumery almost makes us forget that in the past there was more freedom and less cliché to the woman about what scent she should wear. If today it looks like a feminine scent has to be sweetened or smell a fruit salad or like flowers that have their most complex nuances removed the female fragrances from the past ranged from delicate florals to leathery and spicy aromas in the veins of creations like Bandit and Tabac Blond. A special category of the past that stands out for its distinctive character are the green floral fragrances, perfumes that demonstrate how you can put flowers in a herbaceous, a little bitter, metallic and fresh context. It is a genre that emerged with Vent Vert Balmain and stood out with the excellent Chanel No 19. Silences and Heure Exquise are two excellent different oerfumes descended directly from the green and herbaceous floral aroma of Chanel No 19.

Silences is a great find, the kind of perfume that today would be launched by a niche brand and costing more than $ 200. Despite being relatively cheap, it is not a poor perfume in nuances or with little money for the formula. It is a sophisticated composition whose vintage version has aged very well for years and has not lost his grace. Like the No 19 the focus here is precisely the contrast between the herbaceous and bitter aspect of galbanum, which refers to cut grass, in juxtaposition to the earthy and soft scent of iris. Silences seems to explore more the metallic appearance on the idea, using the scent of hyacinth flower as a differential. The Galbanum also seems to me to form a base more earthy and leather nuances. It may not be a typical feminine scent of modernity but gives a great masculine scent, sober, complex and one that does not lose the coherence of its smell from the beginning until the end. Fixing and projection are excellent throughout evolution.

Heure Exquise seems to explore the idea of ​​green floral scent from a more delicate and romantic way, which combines with the classic spirit of Annick Goutal. The Rose is the highlight here and it is precisely its green nuances that are highlighted amid iris and  the grassy herbal aroma of galbanum grass. You can also realize just off the glossy appearance of rose petals along with the cut grass aroma, as if the rose had been harvested with the leaves together. The iris is crafted in a way to favor more the powdery part instead of earthy one, but the earth is still explored here. On the basis Heure Exquise shown to be more musky and punctuated by some of woody vetiver scent. The delicacy of Heure Exquise in edt certainly makes this concentration less difficult to be enjoyed right away, but robs you of the striking impression that is very present in Silences. It's another great creation to be shared and one of Annick Goutal with little attention among the public.