Pesquisar este blog

14 de mai de 2016

L'Artisan Parfumer Noir Exquis - Fragrance Review


Português (scroll down for english version): um dos principais prazeres relacionados ao café está ligado justamente a apreciação de seu aroma. Mais de 1000 diferentes componentes químicos foram identificados no aroma do café, cobrindo nuances as mais diversas quanto possíveis: mel, especiarias, rosa, aroma terroso, aroma tostado. Curiosamente, o cheiro do café ainda é pouco explorado em seu potencial na perfumaria, caindo muitas vezes no clichê doce, açúcarado e vanílico que acaba mascarando parte da sua complexidade. A L'artisan bem que tenta fugir disso em Noir Exquis mas falha.

Espera-se bastante a influência do aroma do café em Noir Exquis justamente pela descrição feita pela própria marca, que o descreve como um elixir baseado em café, flor de laranjeira, xarope de maple e castanhas açúcaradas. Certamente a aura evoca uma patisserie francesa e é bem romântica, porém os verdadeiros protagonistas aqui são o maple e as castanhas açúcaradas. Eles dão um aroma amendoado, doce e lactônico a composição, que sugere o aspecto noir pela presença de uma base de sândalo e materiais ambarados e amadeirados de boa intensidade e duração.

Com um gourmand lactônico, Noir Exquis convence, agrada e mesmo que não seja algo tão distinto quanto os perfumes clássicos da marca ele consegue ser interessante. Como perfume de café, decepciona, não explora de forma clara as grandes possibilidades do grão torrado. Acaba investindo em mais do mesmo, um arranjo oriental doce que disputa em tom de igualdade e volume com o aroma do café e acaba vencendo-o na disputa.

English:

One of the main pleasures related to coffee is just on the appreciation of its aroma. Over 1,000 different chemicals have been identified in the aroma of coffee, covering the most diverse nuances as possible: honey, spices, roses, earthy aroma, toasted aroma. Interestingly, the smell of coffee is still little explored in its potential in perfumery, falling often in the sweet, sugary and vanillin clichê that just masking part of its complexity. L'artisan tried to run away from it in Noir Exquis but fails.

It is expected a good amount of influence of coffee's aroma in Noir Exquis due precisely the description made by the brand, which describes it as an elixir of coffee, orange blossom, maple syrup and candied nuts. Certainly the aura evokes a French patisserie and is very romantic, but the real protagonists here are the maple and sugared nuts. They give a nutty aroma, sweet and lactonic touch to composition, suggesting the noir aspect by the presence of a sandalwood base and ambery and woody materials of good intensity and duration.

As a lactonic gourmand, Noir Exquis convinces, pleases and even that it's not something as distinct as the classic perfumes of the brand it can be interesting. As coffee perfume, it disappoints, does not explore clearly the great possibilities of roasted grain. It ends investing in more of the same, a sweet oriental arrangement that dispute in equal volume and tone with the aroma of coffee and end up winning it in the dispute.