Pesquisar este blog

25 de mai de 2016

Andy Tauer Rose Flash e Lonesome Rider - Fragrance Reviews



Português (scroll down for english version): Há uma certa dicotomia interessante em Andy Tauer, algo que parece se revelar de forma constante em suas criações no mundo da perfumaria. Ao mesmo tempo que Andy Tauer é um Cavalheiro Solitário (como a criação de hoje indica), ele é um homem de negócios capaz de voltar sua sensibilidade artística para temas que possuem grande apelo, dando-lhes sua visão independente. E ao mesmo tempo em que é habilidoso em fazer auto-retratos de determinados aromas, é capaz de construir também aquarelas olfativas que capturam a luminosidade e sensações dos temas que ele deseja tratar.

Rose Flash demonstra justamente as habilidades de Andy Tauer com auto-retrato olfativo. Também evidencia justamente sua dicotomia comercial-independente: escolhe um tema praticamente universalmente aceito, a rosa, para criar uma composição que foca no aroma em si, oferecendo um produto luxuoso, de alta qualidade a um preço acessível. Tauer não divulga notas para Rose Flash elas nem são necessárias, já que a temática da Rosa é delineada em seus detalhes e ocupa a composição boa parte do tempo. Estamos diante de uma rosa que remete mais o aroma da rosa de damasco, uma rosa mais frutada, com nuances de mel e tabaco. A tradicional assinatura ambarada de Tauer se revela presente na composição, conferindo um cheiro que mistura patchouli, toques sutis de açucar, ambar e baunilha para criar uma aura oriental quente e aconchegante ao redor das rosas de alta qualidade.

Já Lonesome Rider é o tipo de composição abstrata que Tauer faz muito bem. Percebo que Andy é fã de temáticas clássicas e de forma recorrente as incorpora em suas criações, que trazem assim um glamour aconchegante que é raro de ser visto atualmente, já que ele exige um pouco mais de paciência para ser interpretado. Lonesome Rider é um companheiro de certa forma a Lonestar memories, girando ao redor de uma composição de couro a moda antiga. A diferença principal é que em Lonesome Rider Andy trás doses generosas de iris que conferem um aroma terroso e ao mesmo tempo macio ao cheiro de couro vintage. Ao redor deles há um aroma amadeirado complexo, que vai do cheiro bem seco do cedro ao aroma mais herbáceo de vetiver e ao tom oriental moderno do oud. É possível perceber também uma certa leveza cítrica suculenta junto ao couro e iris e um aroma abstrato e secundário de flores que se mistura as outras essências durante a composição. Esse viajante solitário está num ambiente de certa forma desértico, mas o cheiro de suas botas se mistura ao aroma de sua colônia amadeirada e a aroma de flores distantes carregadas pelo vento. É certamente uma das obras-primas dentro da rica coleção de perfumes do artista.

English: 

There is an interesting dichotomy in Andy Tauer, something that seems to reveal steadily in his creations in the world of perfumery. While Andy Tauer is a Lonesome Rider (like the creation of today indicates), he is a businessman able to turn his artistic sensitivity into themes that have wide appeal, giving them his independent view. And while he is skilled in making self-portraits of certain aromas, he is also able to  build olfactory watercolors that capture the light and sensations of the subjects he wants to deal with.

Rose Flash just demonstrates Andy Tauer skills with self-portrait smell. Also just shows commercial-independent dichotomy: here he picks a theme almost universally accepted, the smell of roses, to create a composition that focuses on the aroma itself, offering a luxury product, of high quality at an affordable price. Tauer does not disclose notes for Rose Flash and they are not necessary, since the theme of the Rose is outlined in detail and occupies a good part of composition's time. We are smelling a rose which seems more linked to the scent of damask rose, a honeyed and fruity rose with tobacco nuances. The Tauer amber signinature is revealed present in the composition, giving a scent that blends patchouli, subtle touches of sugar, amber and vanilla to create a warm and cozy oriental aura around the high quality roses.

Already Lonesome Rider is the kind of abstract composition Tauer does very well. I realize that Andy is a fan of classic themes and recurrently incorporates them in his creations, bringing so a cozy glamour  that is rare to be seen currently, since it requires a little more patience to be interpreted. Lonesome Rider is a companion somehow to the Lonestar memories, turning around a leather theme in an old fashioned way. The main difference is that in Lonesome Rider Andy blends it with a  generous iris dose that give an earthiness and a vegetable softness to the vintage leather aroma. Around them there is a woody complex aroma, ranging from the very dry smell of cedar to the herbaceous scent of vetiver and a modern oriental touch of oud. You can also notice a certain juicy citrus lightness with the leather and iris and an abstract and secondary scent of flowers mingling over the essences during composition. This Lonesome Guy is in an environment that seems like a desert, but the smell of his boots mingles with the woody aroma of his cologne and to the distant smell of flowers carried by the wind. It is certainly one of the masterpieces in the rich perfume collection of the artist.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here