Pesquisar este blog

16 de mai de 2016

Amouage Sunshine Woman - Fragrance Review



Português (scroll down for english version): o conceito de algo arriscado ou fora da zona de conforto não significa a mesma coisa para marcas diferentes. Tudo depende de como a imagem e a herança estética e olfativa foi construída ao longo dos anos. No caso da Amouage, Sunshine representa algo arriscado e fora da zona de conforto, visto que a marca se especializou em composições triunfais, grandes, que anunciam sua presença do começo ao fim e de certa forma conquistam nichos bem específicos a cada lançamento. Aqui, a direção criativa da marca parece ter optado por algo de apelo mais amplo e fácil de agradar.

Essa abordagem de um perfume júbilo de raio de sol que agrade a muitos tem seus riscos de desagradar aos fãs principais da marca, mas pelo menos eu vejo que Sunshine tem uma espécie de luz olfativa própria que é bem agradável. A princípio ele parece simples, um oriental vanílico light que se utiliza de um licor suave de amêndoas enriquecido com toques pontuais de flores e frutas silvestres. Mas certamente seu segredo está nos detalhes, quentes sem serem sufocantes, mornos como uma tarde agradável de sol. Há toques do aspecto de couro e do frutal de osmanthus e uma base de tabaco e tonka que de forma sutil remete ao delicioso Tonka Imperiale da Guerlain. Apesar de não estar presente entre as notas, tenho a impressão de um acorde macio de musk preenchendo as lacunas da composição e arredondando seu aroma.

O conceito de um raio de sol poderia ter sido interpretado do ponto de vista aldeídico ou de uma exuberância floral intensa, mas Sunshine parece preferir aquecer do que cegar ou "torrar" quem sente seu aroma. É um conceito fácil de ser menosprezado, que tem mais potencial de crescer com usos subsequentes da composição,  revelando assim suas nuances secundárias bem interessantes. Sunshine também funciona muito bem como uma criação da marca para iniciantes em seu universo, que ainda não estão preparados para a exuberância dos perfumes mais orientais da Amouage.

English: the concept of something risky or out of the comfort zone does not mean the same thing for different brands. It all depends on how the image and the aesthetic and olfactory heritage has been built over the years. In the case of Amouage, Sunshine is risky and out of the comfort zone, as the brand specializes in triumphal compositions, large, announcing their presence from beginning to end and somehow gain very specific niches at every release. Here, the creative direction of the brand seems to have opted for something of a wider appeal and easy to please.

This approach of a sunshine perfume with joy that pleases many have the risk of displeasing to the core fans of the brand, but at least I see that Sunshine has a kind of olfactory own light which is very nice. At first it seems simple, an oriental vanillic light that uses a mild  almonds licor enriched with occasional touches of flowers and berries. But surely its secret is in the details, warm without being stifling, as nice as a sunny afternoon. There are touches of leather and fruity osmanthus and a tobacco base and tonka that subtly refers to delicious Guerlain Tonka Imperiale. Although not present between the notes, I have the impression of a soft musk accord filling in the gaps of the composition and rounding its aroma.

The concept of a sunshine could have been interpreted through aldehydic point of view or an intense floral exuberance, but Sunshine seems to prefer warm than blind or "toast" who feel its aroma. It is an easy concept to be belittled, it has more potential to grow with subsequent uses of the composition, thus revealing its very interesting secondary nuances. Sunshine also works great as a creation of the brand for beginners in its universe that are not yet ready for the exuberance of the oriental perfumes of Amouage.