Pesquisar este blog

25 de abr de 2016

L'Acqua di Fiori Hit - Avaliação


Sempre gosto de fazer um rápido tour por todas as amostras que consigo de uma determinada marca para ter uma ideia do que me espera.  É uma forma de criar uma rápida imagem mental do que se irá testar ao longo tempo e ver se é possível identificar alguma identidade peculiar na marca. E ao fazer esse processo com a brasileira L'Acqua di Fiori me surpreendi com muitas criações, mas em especial com um dos seus clássicos e grandes sucessos, Hit.

Eu particularmente penso ser um erro muito grande do ponto de vista da herança da marca o que ao longo do tempo outras integrantes do cenário nacional fizeram, a de descontinuar perfumes amados, com público fiel e que fizeram de empresas como a Natura e o Boticario o que são hoje. É certo que várias dessas criações foram inspiradas em sucessos internacionais em um momento onde as fronteiras de importação eram fechadas pela absurda taxação, mas deveriam ter sido mantidas como parte da nossa herança e interpretação do que acontecia na época.

HiT ao que tudo indica não foge dessa característica de outras empresas fundadas na década de 80. O que é interessante é ver em HiT que o fenômeno da cópia/inspiração preserva a ideia original de um perfume, mesmo que uma escala diferente, em caso da ideia original ser descontinuada ou a firma que o produzia simplesmente ir a falência. No caso, ao que tudo indica HiT é um nome críptico para Heure Intime da Vigny, empresa também de história e origem crípticas.

Considerando o estilo de perfume de HiT e a época de lançamento de Heure Intime, acho bem provável que a inspiração seja verdadeira e é quase um milagre que esse tipo de perfume ainda seja produzido por uma empresa nacional. Criações aldeídicas orientais com esse apelo retrô viraram peças de coleções de nicho, exclusivas ou parte do legado de marcas como a Chanel e Guerlain. É um estilo sofisticado que demanda um pouco mais de compromisso do consumidor ao provar e entendê-lo, algo na direção oposta da abordagem mais fast-food que vemos na perfumaria hoje.

A primeira impressão que HiT me passa é a de limpeza com muita elegância. A concentração deo colônia da ideia faz com que os aldeídos e a parte cítrica sejam bem delicados e limpos, brilhantes, um estilo que pode até apontar inicialmente para a beleza do clássico  Chanel No 5. Porém o que vem logo em seguida é tipicamente Guerlain e me remete imediatamente a parte central de L'Heure Bleue e Apres L'Ondee, uma combinação tons de anis, heliotropina, iris e flor de cravo. HiT soa sofisticado, quente e redondo como um Guerlain nesse momento, o que me faz pensar talvez que a ideia original, Heure Intime, tenha bebido diretamente da fonte das ideias tanto do Chanel No 5 como do Apres L'Ondee da Guerlain.

O Único senão talvez é que HiT soa um pouco etéreo para o estilo de perfume que ele reproduz, o que até dá certo para um clima quente como o nosso mas que deixa um desejo de algo que entregue de forma mais intensa sua beleza.Nada que não possa ser resolvido, é claro, com uma perfumação abundante de seu maravilhoso cheiro.

5 comentários:

Gabriel Villa Santos disse...

Entendo o perfume da mesma forma! Tenho uma tia que o usa da vida toda e sempre achei um cheio lindo, elegante, típico dela mesma. Ao conhecer o N° 5 e os citados Guerlain, automaticamente me veio à cabeça o Hit. Na verdade quando senti o L'Heure Bleue pela primeira vez me emocionei muito pois a primeira coisa que senti foi o cheiro que lembrava da minha tia e seu infalível Hit. Sinto nele a violeta em bastante presença também, me lembra maquiagem, mas sem muitos excessos. E como um adendo, antigamente era um perfume mais forte. Hoje me parece mais fraco, mas ainda lindo e sinceramente não me importo em reaplicar ou combinar com a linha de corpo que é maravilhosa! A loção e o creme tem um cheiro mais sedoso e almiscarado!

Henrique/Rick disse...

Gabriel, obrigado pelo seu super comentário! Sua tia deve ser fã de perfumes clássicos pelo jeito né? Legal que você também vê esse paralelo do HiT com o L'Heure Bleue. Como eu imaginava, ele de fato foi um perfume mais forte no passado, mas prefiro que ele continue em linha assim, mais discreto do que suma né? Grande abraço!

Celzinho Screp disse...

Suas resenhas são de um profissionalismo ímpar. Leio tudo. Inclusive dos perfumes q conheço e não gosto. Estilo maravilhoso para escrever. Qualquer texto q venha a ler imediatamente após ao seu me dá tédio. Parabéns.

Celzinho Screp disse...

Um pedido. Faz a resenha do h2o. Dessa mesma empresa. Obrigado

Henrique/Rick disse...

Muito obrigado pelo elogio maravilhoso Celzinho! Vou ver se consigo atender seu pedido ainda essa semana, talvez na sexta-feira já. Abraço!

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here