Pesquisar este blog

9 de abr de 2016

Hermès Bel Ami Vetiver - Fragrance Review

Português (scroll down for english version): dificilmente eu parto das divulgações para imprensa ou público de um perfume; esse tipo de material de marketing ultimamente costuma ser tão forçado, exagerado e mentiroso que ele não te diz muita coisa sobre a essência do que será sentido e por isso não é de muita valia no momento da escrita. Porém, no caso de Bel Ami Vetiver há uma sinceridade e uma precisão tão grande da Hermès que vale a pena ser explorado por ser algo muito raro de se encontrar.

Vejo que a ideia de relançar os perfumes clássicos da marca em uma mesma identidade visual e criar novas interpretações deles serve justamente para o propósito de reinterpretação da herança da marca sem uma ruptura brusca com o passado. Bel Ami Vétiver é descrito desse jeito, uma reinterpretação sem ruptura do aroma chypre couro do clássico Bel Ami, que nas mãos de Jean Claude Ellena ganhou uma aura mais minimalista e se tornou um couro amadeirado com o uso generoso do vetiver.

Os perfumes do passado favoreciam mais uma personalidade complexa e minuciosamente construída, porém isso é algo que perdeu espaço na perfumaria moderna, que favorece algo que mesmo quando luxuoso é feito para agradar instantaneamente. Por isso, Bel Ami Vetiver se mostra mais direto em seu aroma, mostrando logo tanto o aroma de couro como o de vetiver. Moderno nesse caso não significa pobre em detalhes, e por isso percebe-se o vetiver em diferentes formas. Primeiro ele aparece adocicado e amendoado na saída, remetendo primeiramente ao aroma de Vetiver Tonka. Logo em seguida, o vetiver aparece acompanhado do cheiro lustroso e moderado do acorde clássico de couro, fazendo o link com o Bel Ami mais evidente. Numa última etapa, o vetiver se mostra mais seco e amadeirado, suavizado por um material sintético muito utilizado por ter um aroma de vetiver, cedro e ao mesmo tempo uma leve nuance adocicada e macia.

Não sei dizer se os fãs do estilo mais aristocrático dos perfumes clássicos da Hermès irão apreciá-lo, porém é fácil ver que consumidores que apreciem os novos perfumes da marca se identifiquem com esse estilo minimalista chic. Nesse sentido, Bel Ami Vetiver se mostra mais intenso e permanece mais tempo perceptível que outras das criações minimalistas da marca e é uma opção interessante de um vetiver com um quê de couro clássico em seu aroma.

English: I hardly beging writting a  fragrance review using the public press release material; this type of marketing material often lately so forced, exaggerated and liar that it does not tell you much about the essence of which will be felt and so it is not of much value at time of writing. However, in the case of Bel Ami Vetiver there is a sincerity and precision so great that is worth being explored since it's very rare to find.

I see that the idea of ​​reviving the brand perfume classics in the same visual identity and creating new interpretations of them serves precisely for the purpose of re-interpretation of the brand's heritage without an abrupt disruption with the past. Bel Ami Vetiver is described this way, a reinterpretation without without disruption of classic leather chypre scent of Bel Ami,  which in the hands of Jean Claude Ellena won a more minimalist aura and became a woody leather with generous use of vetiver.

The perfumes from the past favored more complex and carefully constructed personalities, but this is something that has lost ground in modern perfumery, favoring something that even when made exquisite is done to please instantly. So Bel Ami Vetiver is more direct in its aroma, showing just as much leather aroma as vetiver. Modern in this case does not mean lacking in detail, so we can see the vetiver in different ways. First it appears sweet and nutty in the output, reminding you the aroma of Vetiver Tonka. Soon after, vetiver appears accompanied by the sleek and moderate smell of a classic leather chord, making the link with the Bel Ami more evident. In a last step, vetiver is shown drier and woody, smoothed by a synthetic material widely used by  having a vetiver and cedar aroma and at the same time a slight sweet and smooth hue.

I do not know if the fans of the most aristocratic of the classic perfumes from Hermès will enjoy it, but it is easy to see that consumers who enjoy the new fragrance of the brand will identify with this chic minimalist style. In this sense, Bel Ami Vetiver appears more intense and remains more noticeable than other time of the brand's minimalist creations and is an interesting option of a vetiver with a touch of classic leather in its aroma.