Pesquisar este blog

15 de abr de 2016

Guerlain Promenade des Anglais - Fragrance Review


Português (scroll down for english version):  Às vezes é difícil entender exatamente o que se passa pelas cabeças criativas e gerenciais da Guerlain quanto as decisões de escolher quais perfumes devem ou não ser relançados dentro da linha Parisienne, que resgata para uma distribuição mais seletivas criações que foram edições limitadas ou descontinuadas. Com um catálogo tão grande de perfumes, tanto históricos como atuais, para mim é difícil acreditar que o Aqua Allegoria Figue Iris seria uma das melhores opções para ressurgir com um nome mais pomposo que faz referência a uma celebrada esplanada na costa Mediterrânea.

Assim como Cherry Blossom, perfume da linha Parisienne que sai de produção para dar espaço ao lançamento, Promenade des Anglais claramente possui uma fórmula e conceito que diz de forma bem clara e direta ser uma criação comercial e massificada. Não há uma complexidade maior de fórmula ou um orçamento maior que permita claramente um uso de materiais mais exclusivos ou caros, o que poderia dar um acabamento mais requintado e luxuoso, algo que se esperaria nesse segmento.

Desconfio, porém, que Promenade des Anglais não seja apenas meramente um relançamento de Figue Iris. Para mim é muita coincidência que sua evolução me remeta a um dos perfumes que a Guerlain tem capitalizado o máximo que pode: o sucesso comercial La Petite Robe Noire. Tanto que se fosse um Acqua Allegoria, esse certamente poderia ser um Figue Cherry, já que de iris seu aroma não possui nada evidente.

Promenade começa de certa forma estranho e na primeira vez que o senti achei repulsivo e quase desisti de usá-lo. Há um aroma amargo e intenso que muito me desagradou mas que na pele se mostrou secundário, mantendo-se atrás do aroma verde e lactônico do acorde de figo criado. É como se houvesse uma espécie de talco de amêndoas que passou da validade permeando o perfume e é um detalhe que certamente deveria ter sido removido da fórmula. Conforme Promenade avança, o aroma de figo se vai e dá espaço a um acorde meio genérico de flor de laranjeira, algo bem agradável, porém que em alguns momentos remete a aroma de sabão em pó. Misturado a ele temos nuances de baunilha, tonka e musks macios, tudo orquestrado como uma espécie de versão light do La Petite Robe Noire, não muito distante da versão edt ou eau fraiche.

Eu vejo que há uma ideia interessante aqui e indícios da assinatura olfativa e herança da Guerlain em Promenade des Anglais. Porém, o projeto de forma geral não parece finalizado e soa apressado, o que pode ter de fato acontecido considerando que a marca lança muitos perfumes a cada ano e que esse é um reúso de aroma. É uma espécie de filler dentro da linha, algo para trazer uma "novidade" e preencher o buraco que foi deixado com a descontinuação. E é certamente outro Parisienne com grande potencial de não durar muitos anos em catálogo, visto que ele não tem realmente nada de distinto ou encantador a oferecer.

English:
Sometimes it's difficult to understand exactly what goes by the creative and management heads of Guerlain as decisions to choose which perfume should or should not be re-released into the Parisienne line, which rescues for a more selective distribution creations that were limited editions or regular discontinued ones. With such a large catalog of perfumes, both historical and current, for me it is hard to believe that the Aqua Allegoria Figue Iris would be one of the best options to resurface with a more pompous name that refers to a celebrated promenade on the Mediterranean coast.

As Cherry Blossom, the Parisienne perfume coming out of production to make room for the launch, Promenade des Anglais clearly has a formula and concept that says directly that it is a commercial and a mass creation. There is no more complex formula or a larger budget that clearly allows a use of the most exclusive and expensive materials, which could give a more refined and luxurious finish, something you would expect in this segment.

I suspect, however, that the Promenade des Anglais is not just merely a revival of Figue Iris. For me it's quite a coincidence that its drydown makes a reference to me to a perfume that Guerlain has capitalized as much as it can: the commercial success of La Petite Robe Noire. So much so that it was a Acqua Allegoria, this could certainly be a Figue Cherry, as its iris aroma is nothing obvious.

Promenade begins in a strange way and the first time I smell it I found repulsive and almost gave up using it. There is a bitter and intense aroma that grieved me but  on skin it showed to be secondary, keeping behind the green and lactonic aroma of the created fig accord. It is as if a kind of an expired almond talcum pervading the scent and it is a detail that certainly should have been removed from the formula. As Promenade progresses, the fig aroma goes and give space to a generic orange blossom composition, something very nice, but that at times reminding you of washing powder. Mixed in it you have vanilla nuances, tonka and soft musks, all orchestrated as a sort of light version of La Petite Robe Noire, not far from edt version or eau fraiche.

I see that there is an interesting idea here and there is evidence of olfactory signature and legacy of Guerlain in Promenade des Anglais. However, the general design does not seem finished and sounds rushed, what may have actually happened considering that the brand launches many perfumes every year and that this is a reused formula. It's kind of filler inside the line, something to bring a "new" and fill the hole that was left after discontinuation. And it's certainly another Parisienne with great potential to not last many years in production, since it does not really have anything distinct or charming to offer.