Pesquisar este blog

14 de abr de 2016

Caron Nuit de Noel - Fragrance Review


Português (scroll down for english version): Ser uma marca clássica dos tempos de ouro da perfumaria moderna é um desafio maior do que pode parecer a princípio. Primeiro pois os gostos dos consumidores foram se transformando ao longo das décadas e a riqueza olfativa deu espaço a um estilo mais monolítico e direto, que favorece uma gratificação instantânea por meio de um aroma que não muda muito ao longo do tempo. Isso torna desafiador atrair, familiarizar e fidelizar novos consumidores. Além disso, adaptar fórmulas para as disponibilidades e restrições atuais se mostra uma tarefa bem complicada, onde mesmo uma boa reformulação pode desagradar os fãs mais fiéis.

Uma das que  mais sofreu ao longo dos anos com esses dois fenômenos (principalmente o segundo) é a Caron. O estilo aristocrático de seus perfumes mesmo nas reformulações atuais me dá sempre a impressão de entrar em um espaço de tempo onde as pessoas pareciam se vestir e se perfumar com mais elegância e qualidade - o que certamente não se vende fácil hoje. E com seus perfumes dependendo claramente de materiais restritos como eugenol e musgo de carvalho, eu diria que há um exagero ao que se afirma quanto a qualidade atual de seus clássicos.

Entre as formulações presentes da Caron que me agradam, Nuit de Noel é um dos meus favoritos. Famoso por ser uma criação que colocava em evidência uma parte importante da assinatura olfativa da casa, a base Mousse de Saxe, Nuit de Noel parece feito para o inverno do hemisfério norte, projetando uma aura quente, especiada, uma espécie olfativa de casaco de lã. Porém na formulação atual, menos intensa, ele se torna um elegante  e mais versátil perfume ao estilo de clássicos como Habanita e Guerlain L'Heure Bleue, criações perfeitas para serem compartilhadas. Nuit de Noel possuí em comum com esses dois a mesma sensação que mistura um cheiro de cravo seco e doce ao mesmo tempo, tons amendoados, cheiro de anis, musgo, um toque balsâmico e um leve quê atalcado que permeia toda a evolução. Na base, há um moderado aroma amadeirado de vetiver que leva a parte final da composição para algo que atualmente parece mais masculino que feminino.Vejo em Nuit de Noel assim como em outros uma espécie de cápsula do tempo, que tem se preservado apesar dos desafios impostos.

English:  Be a classic brand of the golden perfumery times in a modern world is more challenging than it may seem at first. First because consumer tastes have been turning over the decades and the olfactory wealth has given way to a more monolithic and direct style that favors instant gratification through a scent that does not change much over time. This makes it challenging to attract, familiar and retain new customers. In addition, adapted formulas for availability of materials and current restrictions shows to be a very complicated task, where even a good makeover can displease the most loyal fans.

One of the hardest hit over the years with these two phenomena (especially the second) is Caron. The aristocratic style of its perfumes even in the current reformulations always gives me the impression of entering a period of time where people seemed to dress and perfume with more elegance and quality - which certainly does not sell easy today. And with its perfumes clearly depending on restricted materials as eugenol and oak moss, I'd say there's an exaggeration to what is stated as the current quality of its classics.

Among the Caron gifts formulations that please me, Noel de Nuit is one of my favorites. Famous for being a creation that put in evidence an important part of the olfactory signature of the house, the base Mousse de Saxe, Nuit de Noel seems made for the northern hemisphere winter, casting a warm aura, spicy, an olfactory kind of cardigan . But in the current formulation, less intense, it becomes an elegant and more versatile scent in the classic style of Habanita and Guerlain L'Heure Bleue, perfect creations to be shared by both sexes. Noel de nuit possess in common with these two the same feel: a a mixture of a dry and sweet clove scent, almond tones, anise smell, moss, a touch balsamic and a light powdery impression that permeates the whole evolution. At the base, there is a moderate woody vetiver scent that takes the final part of the composition for something that currently seems more masculine than feminine.Vejo Noel de Nuit as well as other a kind of time capsule, which has been preserved despite the challenges imposed .