Pesquisar este blog

2 de dez de 2015

Mahogany Black Rose e Khamsin - Avaliações

















É interessante observar que no processo de interpretação de um aroma conhecido nem sempre a inspiração se traduz na semelhança. O fato é que algumas modificações nos óleos essenciais e sintéticos que compõe uma fórmula pode ocasionar um aroma familiar, porém diferente e independente do qual ele se inspirou. Isso certamente é mais fácil de se ver em perfumes das décadas de 80 e começo da década de 90, com fórmulas mais complexas e uma outra dinâmica. E é a sensação que eu tenho tanto em Black Rose como em Khamsin.

Black Rose é certamente intrigante e desafia ser decifrado. Quem ele reincarna em seu aroma? Eu não tenho uma resposta pronta, apenas suspeitas baseados na dinâmica de seu cheiro. Certamente ele me parece evocar as composições da grande perfumista Sophia Grosjman no começo de sua carreira. Grosjman possui um estilo marcante, que escolhe saturar 2-3 notas no máximo e criar toda a complexidade ao redor dessas, com um resultado final que costuma ser macio, de boa luminosidade e excelente performance. As Rosas certamente são uma de suas flores favoritas e aparecem em várias composições. Pela aura retrô, Black Rose parece um ode aos grandes perfumes de Grosjman e me passa a sensação de rosas de veludo negro, misteriosas e convidativas ao mesmo tempo. O efeito negro nas rosas para mim é interessante, me parece a justaposição de um acorde de flor de cravo misturado a rosas alcóolicas e tom atalcados e doces de violetas. É possível perceber de fundo ainda uma estrutura que me remete a jasmim ou a lírio aumentando a sensação floral. Algum sintético dá a essa rosa contornos frutais e púrpuras e aumenta seu aspecto mágico. De fundo, uma base clássica ao mesmo tempo que ultra sedosa e brilhante, como se misturasse tons chypres de musgo e patchouli a uma porção generosa de musks e madeiras minerais. Apesar de não ser um dos perfumes mais conhecidos da marca, Black Rose é muitíssimo interessante e tem ótima performance na pele.

Já o caso de Khamsin não chega a ser difícil identificar a semelhança, entretanto a diferença dele para o perfume no qual ele se inspira produz algo inesperado. Tendo em seu DNA os contornos de um dos maiores clássicos de vendas da perfumaria importada no Brasil, Khamsin deve muito de seu cheiro ao Aromático Fougere de Azzaro, entretanto suas modificações fazem com que ele pareça mais um molde dessa família olfativa. Isso certamente no passado poderia ser considerado algo enfadonho, entretanto essa espécie em suas forma clássica está praticamente em extinção e Khamsin é, de certa forma, uma garantia de sua sobrevivência, mesmo que para um público específico. A ausência do aroma de Anis é o que mais o diferencia para mim do Azzaro e em seu lugar me parece que as ervas meio amargas acaba ganhando mais destaque junto aos tons herbáceos da lavanda e os toques cítricos ligeiramente adocicados. De fundo, percebe-se uma combinação de madeiras secas e um toque chypre que me remete a musgo de carvalho. Assim, preserva-se a dinâmica entre frescor aromático, leveza cítrica e tom terroso e amadeirado de um Fougere Aromático. O único senão é que Khamsin, por algum motivo, me parece não ser um dos perfumes de melhor fixação e projeção da marca. Ainda sim, é bem harmônico e um bom clássico para quem curte esse estilo.

7 comentários:

Rafael Oxn. disse...

O que seriam "madeiras minerais" ? o.õ

desculpa mas como "visualizar" esse cheiro ?

Henrique/Rick disse...

Madeiras minerais é a sensação que você tem com a base do perfume Natura Homem Madeiras. Creio que ele é um excelente exemplo de onde isso aparece. No Black Rose ele é bem discreto, no Stark é bem mais evidente.

Rafael Oxn. disse...

hum, ok ..

Leonardo carlos gomes disse...

Você que vale a pena o investimento no Azzaro Tradicional visto que ambos se parecerem, ou melhor pegar o Khamsin que têm um preço mais em conta?

Henrique/Rick disse...

Leonardo, tudo depende de quanto você ama o Azzaro Tradicional; se é muito, certamente pegar um parecido não vai te satisfazer.

Cris lin disse...

Sou apaixonada pelo Black Rose, saiu de linhagem. .
Me indica algum semelhante?

Henrique/Rick disse...

Cris Lin, não conheço nenhum perfume exatamente igual ao Black Rose. Por similaridade eu te recomendaria testar o YSL Paris.

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here