Pesquisar este blog

16 de out de 2015

Tabacora Parfums Salim Attar Fragrance Review

Português (scroll down for english version):  Tabacora é uma marca da Polônia recém chegada no universo da perfumaria e que me parece intrigante em sua abordagem inicial. Enquanto muitas marcas novas lançam coleções de diversos perfumes para tentar cobrir o máximo possível de preferências, a grife apostou em 2 composições iniciais. E apesar de elas pegarem carona na ainda crescente predileção por perfumes orientais com Oud, suas criações seguem o caminho da perfumaria árabe ao oferecer attars, composições que de forma simplificada podem ser descritas comofeitas pela destilação em conjunto de diversas essências.

É nessa abordagem que está a parte mais intrigante de Salim para mim, um oriental construído com oud, cypriol, bálsamo gurjum, açafrão, rosa, patchouli, ambar e musk. Certamente a textura densa e oleosa e o aroma mais íntimo mostram sua inspiração na perfumaria árabe. Ainda sim, há uma complexidade nas texturas e uma projeção atípica, como dicas que há uma estrutura de perfumaria clássica operando no nível estrutural desse ode árabe ao oud.

É como se alguém tivesse elevado ao máximo de riqueza nos detalhes a idéia que está presente no Tom Ford Noir de Noir. Enquanto há pontos em Noir que nunca me agradaram, em Salim eles nunca são evidentes e a estrutura é sinfônica e um banquete para o olfato do começo ao fim. É possível perceber o tom especiado com nuances de bebida do açafrão e rosas alcóolicas, aveludadas, que me remetem ao absoluto de rosa de damasco. O agarwood cobre diversas nuances, com um cheiro de incenso, corda nova, nuances de borracha, e um aroma amadeirado medicinal e adocicado. Ele nunca é dominante entretanto, suportado por um patchouli meio amargo, nuances de musgo ambar e musk.

A Combinação de duas formas diferentes de perfumaria em uma concentração tão luxuosa e intensa é o maior charme de Salim na minha opinião. Isso combinado a uma ótima escolha de óleos essenciais e sintéticos, que se soam familiares são muito agradáveis e prazerosos. É uma experiência olfativa para a qual eu estava receoso a princípio - por ser mais um perfume de oud - e que me cativou pela ótima jornada do aroma na pele.

English:

Tabacora is a trademark of Poland newcomer in the perfume universe and seem intriguing in its initial approach. While many new brands launch collections of various scents to try to cover as much preferences as possible, the brand bet on two initial compositions. And while they catch a ride on the still growing fondness for oriental perfumes with Oud, their creations follow the path of Arab perfumery by offering attars, compositions that in a simple way can be described as crafted by distillation of various essences together.

It is this approach that is the most intriguing part of Salim for me, an oriental built with oud, cypriol, gurjum balm, saffron, rose, patchouli, amber and musk. Certainly the dense, oily texture and more intimate aroma show its inspiration in the Arabian perfumery. Still, there is a complexity in textures and an atypical projection, as a hint that there is a classical perfume structure operating at the structural level of the Arabic ode to the oud.

It is as if someone had raised to the maximum wealth of details the idea that is present in Tom Ford Noir Noir. While there are points in Noir that never pleased me in Salim they are not obvious and the structure is symphony and a feast for the nose from the beginning to the end. You can smell the  spiced saffron with boozy and the velvety and alcoholic rose nuances, referring me to the damask rose absolute. The agarwood covers various nuances, with a smell of incense, new rope, rubber nuances, and a sweet woody medicinal aura. It is never dominant however, supported by a semisweet patchouli, amber, moss and musk nuances.


The combination of two different types of perfumes in such a luxurious and intense concentration is the greatest charm of Salim in my opinion. This combined with a great choice of essential oils and synthetic,  what sounds familiar is very nice and pleasant. It is an olfactory experience for which I was afraid at first - to be another oud perfume - and that captivated me for the great journey of scent on the skin.