Pesquisar este blog

7 de out de 2015

La Parfumerie Moderne No Sport Fragrance Review


Português (scroll down for english version):
há princípio, não tinha me dado conta de que estava diante de uma marca com algo intrigante ao receber de um amigo amostras da La Parfumerie Moderne. O Nome em si aliado aos frascos minimalistas me faziam pensar que essa seria mais uma marca lançando os mesmos perfumes de sempre e se aproveitando da tendência de nicho para vender seu nome. Porém, o desejo de recapturar a mágica do tempo de ouro da perfumaria certamente pode ser visto em No Sport, um ode para mim ao gerânio e ao gênero fougere clássico.

O nome é uma escolha bem inteligente, já que de certa forma o cheiro em si passa longe da refrescância funcional que muitos perfumes esportivos carregam em seus aromas. Porém, é uma referência direta a um dito que Winston Churchill teria pronunciado ao ser questionado por um reporter como ele tinha chegado em idade avançada mesmo fumando e bebendo. E o tipo de elegância que No Sports captura parece vir diretamente dessa era.

A grande estrela aqui é o gerânio, uma das poucas flores amplamente aceitas na perfumaria masculina e um dos pilares do gênero fougére. No Sport explora suas nuances de rosa, seu aspecto mentolado e seu lado de limão mais amargo, combinando-o a uma mistura terrosa, amadeirada e um pouco amarga, fruto do patchouli, vetiver e gálbano. Há um interessante aroma picante e seco de tabacco e feno também, que sugere uma impressão de especiarias sem que elas estejam presente na composição.

A qualidade do gerânio utilizada aqui é algo cada vez mais raro de ser visto na perfumaria contemporânea e reforça o ar nostálgico chic que No Sport  deseja passar. É um lembrete para mim da elegância atemporal que muitos perfumes do passado possuíam e algo que se perdeu na perfumaria contemporânea.  Certamente esse não é o seu perfume comercial/de nicho de sempre.

English:

At first first, i didn't realized that was in front of a brand with something intriguing once i got from a friend samples of La Parfumerie Moderne. The name itself allied with the minimalist bottles made me think that this would be another brand launching the same perfumes of always and taking advantage of niche trend to sell their name. However, the desire to recapture the magic of perfumery gold time can certainly be seen in NO Sport, an ode to me to geranium and the classic fougere genre.

The name is a very smart choice, as somehow the smell itself passes away from functional freshness that many sports perfume carry in their aromas. However, is a direct reference to a saying that Winston Churchill would have pronounced when asked by a reporter how he had come into old age even smoking and drinking. And the kind of elegance that capture No Sports seems to come directly from that era.

The big star here is the geranium, one of the few flowers widely accepted in men's perfumes and one of the pillars of Fougere genre. Sport explores its rosy shades, the minty aspect and the bitter lemony part, combining it with an earthy mixture, woody and slightly bitter fruit of patchouli, vetiver and galbanum. There is an interesting spicy aroma and dried tabacco and hay as well, suggesting a impression of spices they are not present in the composition.


The quality of geranium used here is something increasingly rare to be seen in contemporary perfumery and reinforces the chic nostalgic air NO Sport wants to pass. It's a reminder to me of timeless elegance that many past perfumes and something that had been lost in contemporary perfumery. This is certainly not your scent commercial / niche forever.