Pesquisar este blog

1 de out de 2015

Helmut Lang Cuiron - Original Versus Reformulado Review



Português (scroll down for english version):  Cuiron é um daqueles perfumes que adquiriu um certo status mítico nos fóruns da internet depois que foi descontinuado. Mesmo sem ser um perfume muito popular, os que o amavam criaram um hype suficiente para que seu preço subisse ao longo dos anos e ele se tornasse um item desejado e um perfume de couro na mira dos fãs dessa nota. Em 2014, com a reintrodução da linha de perfumes Helmut Lang, a dificuldade de conseguir um a um preço justo caiu (ainda que não seja um perfume que se encontre fácil atualmente). Mas será que Cuiron vale o status que adquiriu? E a versão atual seria compatível com a formulação original?

Deve-se considerar que avaliação feita leva em conta que o Cuiron na formulação original já sofreu o processo de maturação ao longo dos anos desde que seu último lote foi feito. Logo, por não conhece-lo fresco apenas posso julgar pelo seu conteúdo encorpado atual. O perfume de forma geral me remete bastante a um outro descontinuado que também adquiriu status mítico e preços altos ao passar do tempo, o By Man da Dolce & Gabbana. Ambos possuem um aroma de couro bem transparente, até mesmo para um estilo de couro camurça. É um couro macio que é sugerido em meio a combinação de lavanda, ervas, especiarias e musk. Cuiron abre com uma boa dose de noz-moscada, o que lhe confere para mim um toque levemente salgado e picante. A Lavanda dele dá uma aura floral verde, abstrata, desprovida do teor clean e clássico da lavanda. O couro possui um leve quê plástico, um couro que não esconde a artificialidade da qual todos os aromas de couro dependem para existir. Pelo contrário, ele faz dela seu ponto principal ao aliar a isso um musk macio, cintilante, no limiar de um musk funcional.

O relançamento de Cuiron é bem próximo dessa idéia, entretanto me parece mais transparente e delicado – e aí eu não sei até que ponto a maturação tem influência nisso. A versão atual me parece reforçar no aspecto herbal, possuindo um interessante cheiro de folha de menta natural, sem aroma de pasta de dente. A Lavanda é mais marcada e o lado especiado conferido pela noz moscada é bem sutil. O aroma de musk é ainda mais evidente em relação ao couro, que só se torna mais evidente bem no final da evolução do perfume. Nessa versão, aparentemente há algum toque levemente abaunilhado arredondando a fórmula, algo que não percebo na versão original.

Como quase todo perfume que adquiriu um hype alto ao longo do tempo, Helmut Lang é bem específico em seu apelo e não tão mítico quanto possa parecer, apesar de ser um ótimo perfume para quem sente falta do By Man. A formulação atual faz com que ele peque um pouco no aspecto técnico de projeção e convida o consumidor a um uso mais generoso na pele, que acaba compensando pois seu cheiro dura bastante, mesmo que de uma forma mais discreta. É bem provável que com passar dos anos o processo de maturação torne a formulação atual mais próxima da original.

English:

Cuiron is one of those scents that acquired a certain mythical status in the internet forums after it was discontinued. Even without being a very popular perfume, those who loved him created enough hype for its price went up over the years and it  became a desired item, a leather scent in the crosshairs of fans of this note. In 2014, with the reintroduction of Helmut Lang perfume line, the difficulty of getting one at the right price fell (although this is not a perfume who is currently easy to find). But is Cuiron worth the status it acquired? And would the current version  be compatible with the original formulation?

It must be considered that the assessment takes into account the Cuiron the original formulation has suffered the maturation process over the years since its last batch was made. So since i haven't tried it fresh I can only judge by its current full-bodied content. The general scent brings me quite another discontinued who also acquired mythical status and high prices over time, the Dolce & Gabbana By Man. Both have a good transparent leather scent, transparent even for a suede-style leather. It is a soft leather which is suggested in through the combination of lavender, herbs, spices and musk. Cuiron opens with a good dose of nutmeg, which gives me a slightly salty and spicy touch. Its  Lavender adds a green floral aura, abstract, devoid of clean and classic lavender sides. The leather has a light plastic thing, a leather that does not hide the artificiality of which all leather aromas rely on to exist. On the contrary, it makes it his main point to ally with it a soft, sparkling musk, on the threshold of a functional musk.

The Cuiron relaunch is right next to that idea, however it seems more transparent and delicate - and then I do not know to what extent the maturation influences it. The current version seems to reinforce the herbal aspect, having an interesting smell of natural mint leaf, no scent of toothpaste. The Lavender is more marked and the spicy side conferred by nutmeg is very subtle. The musk aroma is even more evident in relation to the leather, which only becomes evident at the very end of the evolution of perfume. In this version, there are apparently some touch vanilla slightly rounding the formula, something I do not understand the original version.

Like almost every scent that acquired a high hype over time, Helmut Lang is very specific in its appeal and not as mythical as it may seem, despite being a great scent for those who miss the By Man. The current wording makes he sin a bit on the technical side projection and invites the consumer to a more generous use on the skin, which has just compensating for his smell hard enough, even if in a more discreet manner. It is likely that over the years with the maturation process makes the current formulation closer to the original.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here