Pesquisar este blog

14 de out de 2015

Comme des Garcons Ouarzazate Fragrance Review

Português (scroll down for english version): pode não parecer, mas certamente a Series 3 Incense da Comme des Garcons foi uma coleção influente na revitalização do gosto e tendência pelos perfumes centrados na nota de incenso. Ela é uma espécie de homenagem a forma mais clássica e primordial de perfumaria, a arte de queimar resinas aromáticas. Ao mesmo tempo, tenta retratar o como essa prática que mexe com o nosso físico e emocional foi utilizada em diferentes religiões ao longo do tempo.

Ainda que os mais conhecidos da coleção sejam os excelentes Avignon e Kyoto, os outros integrantes são interessantes e mostram uma versatilidade que eu particularmente não atrelo ao incenso. Ouarzazate é um caso interessante disso, um perfume inspirado no Islamismo e dedicado a uma cidade no Marrocos, capturando o aroma de resinas e plantas típicas da região desértica desse lugar.

Ainda que essa inspiração te leve a esperar um incenso mais impactante e denso, o resultado acaba ressaltando a nuance mais mentolada e fresca do absoluto de olíbano. O aroma de forma geral inclusive não me faz pensar exatamente no Islã, mas sim nas religiões orientais, principalmente pelo acorde secundário de chá e pela aura leve e luminosa do hedione, que confere um tom bem sutil de jasmim que emana entre o chá e o aroma fresco de incenso. De suporte, é possível perceber um aroma amadeirado seco e suave ao mesmo tempo, com uma combinação de musks e iso e super que ajuda a reforçar o tom contemplativo e abstrato da ideia.

Ouarzazate é como o sopro do incenso, carregado pelo vento e que se mistura ao cheiro das ervas frescas e ao aroma de madeiras recém cortadas, embebidas em resinas aromáticas e queimadas em pequenas lascas, sem que o aroma esfumaçado seja carregado junto pelo vento. É artístico, confortável e uma bela combinação de elementos na temática incenso.

English: It may not look, but certainly the Series 3 Incense of Comme des Garcons was an influential collection in the revitalization of taste and trend of focusing  scents in the incense note. It is a kind of tribute to the more classic and primordial form of perfumery, the art of burning aromatic resins. At the same time, it tries to portray how this practice that stirs our physical and emotional was used in different religions over time.

Although the best known of the collection are the excellent Avignon and Kyoto, the other members are interesting and show a versatility that I do not particularly link with  incense. Ouarzazate is an interesting case of that, a perfume inspired by Islam and dedicated to a city in Morocco, capturing the aroma of typical resins and plants of the desert region that place.

Although this inspiration lead you to expect a more impactful and dense incense, the result ends up highlighting the more minty and fresh nuance of frankincense. The aroma overall do not make me think exactly in Islam, but in Eastern religions, especially due the secondary tea aroma and the light and luminous aura of hedione, which gives a very subtle shade of jasmine emanating from tea and fresh aroma of incense. Supporting it, it is possible to notice a soft, dry woody aroma with a combination of musks and iso and super that helps ti reinforce the contemplative and abstract tone of the idea.

Ouarzazate is as blow incense, carried by the wind and blending the smell of the fresh herbs and aroma of freshly cut timber, soaked in aromatic resins and burned into small chips, without the smoky part being carried in the wind. It is artistic, comfortable and a nice combination of elements in the theme incense.