Pesquisar este blog

7 de out de 2015

Amberfig Oudh Avaliação


Alguns materiais do mundo da perfumaria ganharam popularidade nos últimos anos principalmente pela imagem intrínseca deles como elementos luxuosos e caros. Muitas vezes, entretanto, eles são utilizados apenas como conceitos, recriados por meio de outros elementos sintéticos mais acessíveis em preço e em quantidade ao longo do tempo. Um conceito de uma coleção limitada como a coleção exclusiva da Amberfig permite que seja possível explorar em uma escala mais artesanal a essência real dessas luxuosidades. OUDH dá continuidade a esse processo após o excelente Iris d'Or, utilizando uma complexa composição de resinas e materiais clássicos na perfumaria oriental para ressaltar os diferentes aspectos do agarwood.

O resultado é intrigante e certamente passa longe do aroma meramente agradável. Há aspectos desafiadores em OUDH e que surpreenderiam os acostumados com o aroma mais amadeirado, doce e almiscarado que os acordes de oud vêm apresentando na perfumaria tanto comercial como de nicho. Esse é um oud que mostra aquela nuance animálica que remete a alguns a estábulo e para mim lembra cheiro de óleo de motor. Algo negro, bem oleoso e denso que é resultado direto de três tipos diferentes de oud na composição.

Para mim o maior segredo está no conceito, na justaposição de outras essências para destacar diferentes lados da resina e ao mesmo tempo harmonizar com ele. Um dos que mais me agradam e surpreendem é o uso do aroma picante e seco do gengibre, que combina perfeitamente com o cheiro oleoso e de palha seca que o oud me passa em alguns momentos. Serve também de ponte para o opoponax, que ressalta as nuances adocicadas mais abafadas da resina. O nardo verde e a priprioca acabam se misturando ao lado mais amadeirado, que remete a palha seca, enquanto o sândalo amyris, a madeira do sião, o labdanum e o acorde de âmbar reforçam o lado mais espiritual e contemplativo do aroma com suas nuances de incenso e madeiras doces e resinosas.

Há uma tendência em OUDH para uma luminosidade bem delicada, uma espécie de penumbra olfativa e que por isso dá uma falsa impressão as vezes de linearidade da ideia. Esse jogo de sombras também pode ser percebido na intensidade da composição, que horas se mostra intensa para mais para frente parece mais serena e rente a pele. É um perfume intrigante e que de fato faz justiça ao luxo limitado da faceta mais real e complicada de uma das notas mais populares da perfumaria recente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here