Pesquisar este blog

22 de set de 2015

Brioni Cologne Fragrance Review


Português (scroll down for english version): o segundo perfume da Brioni me faz constatar algo interessante, ainda que raro de acontecer. É certo que no mundo da moda o perfume cumpre um papel inclusivo por ser uma porta de entrada para o universo de uma grife que muitos admiram e não teriam poder aquisitivo para consumir. Entretanto, nem todas as portas são exatamente acessíveis ou de valor tão diferente dos outros itens. E aí entra o perfume de uma das marcas italianas mais exclusivas e caras quando se trata de moda masculina.

Ao preço de 215 libras um frasco de 75ml, Brioni se coloca numa posição curiosa, a de um perfume de 'designer' com o preço de uma criação exclusiva ou dita de nicho. Segundo a marca, isso se deve ao uso de essências caras pouco usadas e um cuidado meticuloso com os detalhes imperceptíveis. Mesmo nos perceptíveis da para ver que estamos diante de um ítem pensado para ser algo complementar ao universo de luxo da casa masculina.

Quanto ao perfume, a marca me parece trazer duas tendências recorrentes na perfumaria no momento atual para uma interpretação em uma estrutura de colônia moderna, algo como uma versão luxuosa e executiva de um aroma cítrico de nuances amadeiradas e de musk. Uma delas é bem conhecida do público, o onipresente aroma do exótico oud. A outra tem sido explorada de forma mais discreta, o aroma floral verde e cítrico da magnólia, perfeito para ser encaixado de uma forma mais polida numa colônia cítrica.

É difícil perceber se de fato há 100 elementos presentes na fórmula de Brioni, já que o objetivo da marca de atingir esconder a complexidade certamente foi atingido. Seu aroma é de uma lavanda delicada, de nuances de limão, especiarias, toques de jasmim, aroma verde de magnólia e base almiscarada com toques exóticos distantes de agarwood, ambar e patchouli. Sua aura parece pensada para um almoço ou jantar executivo que demande elegância ao mesmo tempo onde não se destacar pelo aroma parece um imperativo.

No final das contas, minha impressão é que Brioni cumpre mais o propósito de ser um ítem de luxo complementar a quem já consome os ternos e camisas da marca. Se fosse num patamar de preço mais acessível, ele seria a versão elegante do que o lançamento da Dior, Sauvage, deseja ser mas não consegue, uma colônia moderna masculina elegante, mesmo que nem um pouco inovadora.

English:
The second scent of Brioni makes me realize something interesting, although it something that rarely happens. It is true that in the fashion world the scent plays an inclusive role for being a gateway to the universe of a brand that many admire and would not have purchasing power to consume. However, not all ports are exactly accessible or valued so different from the other items. And this matches the scent of one of the most exclusive Italian brands and expensive when it comes to men's fashion.

Priced at 215 pounds a bottle of 75ml, Brioni stands in a curious position, a 'designer' scent with the price of an exclusive or said niche  creation. According to the brand, this is due to the use of little used essences and meticulous care with imperceptible details. Even on the noticeable part is possible to see that we are facing an item thought to be something complementary to the male house luxury universe.

As for perfume, the brand seems to me to bring two recurring trends in perfumery at the moment for an interpretation in a modern colony structure, something like a luxury and executive version of a citrus scent of woody and musk nuances. One of them is well known to the public, the ubiquitous scent of exotic oud. The other has been explored more discreetly, the green and citrus floral scent of magnolia, perfect to be embedded in a more polished form in a citrus cologne.

It's hard to see if in fact there are 100 elements in Brioni formula, since the objective of the brand to hide the complexity was certainly achieved. Its aroma is a delicate combination of lavender, lemon nuances, spices, jasmine touches, green magnolia aroma and musky base with distant exotic touches of agarwood, amber and patchouli.Its aura seems designed for a lunch or dinner executive that demands elegance at the same time it is imperativo not stand out from the smell.

In the end, my impression is that Brioni better meets the purpose of being a companion luxury item to those who already consume the suits and shirts of the brand. If it was a more affordable price point, it would be the elegant version of what the launch of Dior, Sauvage, want to be but can not, a stylish male modern colony, even if one which is little innovative.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here