Pesquisar este blog

17 de set de 2015

Andy Tauer No 8 Une Rose Chypre, No 10 Une Rose Vermeille e No 11 Carillon Pour Une Ange Reviews



Português (scroll down for english version): apesar de ser bem conhecido pelo estilo de perfume onde ambar, incenso e especiarias predominam, percebo ao conhecer em sequências os perfumes de Andy Tauer que ele é um grande fã tanto de aromas florais como de estruturas clássicas. É possível perceber um estilo em seus florais que encontra um meio termo entre a legibilidade dos aromas modernos e a complexidade dos perfumes mais tradicionais. O resultado é marcante, duradouro e bem luxuoso como pode ser percebido em suas criações da linha homage.

Une Rose Chypre  - certamente é o que mais se aproxima da assinatura de andy tauer, com uma saída bem intensa em especiarias de aroma levemente mentolado, cremoso e picante, algo que mentalmente me passa a impressão de cardamomo. Da primeira vez que conheci, Une Rose Chypre não me pareceu Chypre e nem se mostrou o mais interessante, entretanto ao usá-lo novamente dessa vez percebi que o estilo de Chypre escolhido foi o oitentista, que reforça mais para mim o aspecto oriental, o aroma de patchouli e a parte floral. As rosas me soam mais naturais, o patchouli um pouco doce e base é complexa em seu aroma de resinas, com o toque familiar sedoso de ambroxan emulando ambergris e um sutil quê de baunilha para mim. Esse pende mais para o clássico talvez, ainda sim com uma base menos pesada ou complicada.

Une Rose Vermeille - algo que pode ser observado na linha de criações de Andy Tauer é que o perfumista adora rosas e que ele sabe fazer excelentes perfumes de rosa. Une Rose Vermeille é uma rosa de nuances frutais e adocicadas bem natural, harmônica e de intensidade perfeita, nem muito forte nem muito suave. O aroma das framboesas lhe dá um aspecto silvestre levemente doce que envolve uma rosa bem sedosa e primaveril. Essa é envolta em uma base de um musk com aroma que me remete a textura de algodão e doçura delicada de creme de baunilha. É mais próximo a um soliflore de rosas, com a saída e fundo parecendo criadas para exaltar e iluminar a grande rainha das flores nessa composição.

Carillon Pour Une Ange - é interessante observar o conceito que é trabalhado nesse ode ao Lírio do Vale, um dos acordes florais  mais clássicos e populares da perfumaria. Primeiro, seu lado mais puro e virginal é sugerido por uma imagem angelical e seu aroma melódico e complexo se converte em uma metáfora de um instrumento musical tão clássico quanto o lírio do vale - o carrilhão, um instrumento feito de um teclado e sinos de tamanhos variados. Carillon tem algo que se encaixa perfeitamente nessa metáfora, ao possuir um aroma floral branco e luminoso que parece ter de início uma aura aguda e melódica capaz de preencher uma catedral. É algo fluorescente, de excelente rastro e com o qual eu me deparei poucas vezes até hoje. A sinfonia que cria a melodia de lírio do vale gira principalmente ao redor de um jasmim delicado, verde e com um leve aspecto doce, complementado por um aroma mais verde de rosas e pelo tom frutal adocicado do ylang. Assim como o som na catedral, Carillon começa intenso e vai se abafando, tornando-se um eco de ambergris, musks e um toque sutil de musgo, algo mais próximo de um perfume rente a pele.

English:
Despite being well known for a perfume style where amber, incense and spices predominate, i noticed when trying Andy Tauer perfumes in sequence that he's a big fan of both floral scents as of classical structures . You can see a style in his florals finding a compromise between readability of modern aromas and complexity of more traditional perfumes. The result is remarkable, durable and quite as luxurious as can be seen in his creations inside the homage line.

Une Rose Chypre - this is certainly what most closely matches the signature of Andy Tauer, with a very intense output of spices, creamy, hot and minty, something that mentally makes me think of  cardamom. The first time I tried itm Une Rose Chypre do not seem Chypre nor proved the most interesting, however to use it again this time I realized that the Chypre style chosen was the eighties one, which further reinforces for me the oriental appearance, patchouli aroma and floral part. Roses here sound more natural than in eighties chypres, patchouli has slightly sweet aroma and the base is complex in its combination of resins with the silky touch of familiar ambroxan emulating ambergris and a subtle hint of vanilla for me. This leans more towards the classic perhaps, but still with a lighter or less complicated base.

Une Rose Vermeille - something that can be observed in the line of Andy Tauer creations is that the perfumer loves roses and he can do excellent rose perfumes. Une Rose Vermeille is a rose of a fruity and sugary nuances and natural, harmonious and perfect intensity, neither too strong nor too soft. The aroma of raspberries gives you a slightly sweet wild aspect involving a well silky spring-like rose. This is wrapped in a base of musk scent that brings me to the cotton texture and delicate sweetness of vanilla cream. It is closer to a soliflore rose, with the output and looking fund created to celebrate and illuminate the great queen of flowers in this composition.


Carillon Pour Une Ange - it is interesting to notice the concept worked in this ode to Lily of the Valley, one of the floral accords most classic and popular. First, its most pure and virginal side is suggested by an angelic image and its melodic and complex aroma turns into a metaphor of a musical instrument as classic as the lily of the valley - the carillon, an instrument made of a keyboard and sizes of varied tubes. Carillon has something that fits perfectly in this metaphor, to have a white and bright floral scent that seems to start a sharp, melodic aura able to fill a cathedral. It's something fluorescent, of excellent trail and with which I've come across a few times so far. The symphony that creates the lily of the valley melody revolves mainly around a delicate, green and slightly sweet aspect jasmine, complemented by a greener scent of roses and the fruity sweet tone of ylang. As well as the sound in the cathedral, Carillon get intense and will drowning, becoming an echo of ambergris, musks and a subtle touch of moss, something closer to a skinscent.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here