Pesquisar este blog

26 de mai de 2015

Sebastiane Parfums Immortal Meadow Fragrance Review





















Português (scroll down for english version):

Na minha opinião Robert criou uma espécie de trilogia ao redor das amoras silvestres dentro de sua marca Sebastiane Parfums - Black Magic, Immortal Meadow e e Wish Upon a Start. Assim com Black Magic, Immortal Meadow compartilha uma inspiração de fantasia, algo mágico e um pouco onírico para mim. E da mesma forma que Black Magic, é uma viagem na qual você é transportado para o que o passado da perfumaria tem a oferecer de melhor.

Não julgue esse aqui pela nota de amora silvestre - ela pode te engar e levar a pensar que ele é igual ao Black Magic, mas não é. Ela funciona mais como uma nota sedutora, um guardião da campina propriamente dita que irá se desenvolver logo em seguida. Ela tem o mesmo balanço de acidez e doçura, mas é sucedida por uma estrutura chypre acourada. É interessante que a nota de couro aqui funciona como uma nota de saída em vez de corpo ou fundo - logo após o aroma das amoras selvagens vem esse aroma de couro defumado que cria um interessante contraste entre notas frutais e acouradas.

E então, você entende exatamente o que é a Campina Imortal aqui - a Ilha Chypre, ilha de fantasias, abstração, um lugar onde essas criações míticas do passado ainda vivem em sua glória completa da sinfonia entre aromas agridoces e terrosos. Há algo nesse aqui que me parece no limiar dos cypres  anos setenta e 80, que me parece por mais ênfase na nota terrosa do patchouli e vestí-la com um aroma doce e plástico de violeta. O balanço aqui funciona bem e cria um ambiente verde e úmido, algo que eu realmente associaria com uma campina imortal, um lugar onde a vida nunca acaba.

Há algumas dicas da assinatura olfativa do Robert nesse aqui novamente que nem em Black Magic, mas trabalhado de forma diferente. A baunilha dá suporte ao patchouli porém é bem mais discreta, apenas reforçando a nuance secundária de chocolate amargo dessa matéria prima. O Benjoin funciona como um aroma ambarado e cria uma nuance esfumaçada discreta para um apoio adicional ao ambiente do tipo fantasia que é criado aqui. Eu estava pensando que esses dois perfumes ciram um belo par e eles tem idéias que são compatíveis, então eu suponho que combiná-los resultaria em algo interessante.  Minha mente viaja e cogita - seria a bruxa negra das amoras silvestres de black magic escapado das campinas imortais para espalhar seu feitiço pelo mundo afora? Talvez eu terei essa resposta amanhã ao usar wish upon a star, para mim a parte final dessa saga.

English:

I think that Robert has created a kind of blackberry trilogy inside his Sebastiane Parfums - Black Magic, Immortal Meadow and wish upon a star. Immortal Meadow, just like Black Magic, shares a fantasy inspiration, something magic and a little bit dreamlike for me too. And just like Black Magic, in this trip you are transported to what the past had to offer you the best.
Don't judge this one from the blackberry aroma - it might trick you to think that this one is equal to Black Magic, but it isn't. It's more of an enticing note, a gatekeeper of the proper meadow that will develop further. It has the same balance of tart and sweet notes, but it follows a leathery chypre structure.It's interesting that the leather note here works more like a top note instead of a middle and heart note - just after you smell the blackberries, it follows a classic burnt-like leather aroma that creates an interesting contrast of fruity and leathery notes.
And then, you understand what is the properly Immortal Meadow here - the Chypre Land, the land of misteries, abstraction, a place where this mitics creations from the past still live in its full glory of their bittersweet and earthy symphony. This seems to me like something in the edge of the seventies or eighties chypres, that for me put more emphasis on the earthy patchouli note and dress it with a sweet and plastic violet note. The balance work for me here and creates a green and moist environment, something that i would associate with an Immortal Meadow, a place where the life never ends.
Some hints of Robert's signature can be seem here again, just like in Black Magic, but worked in different ways. The vanilla support the patchouli and it's very discreet, i think it helps to push just a little the bitter chocolate edge. The Benzoin works just like the amber, creating a subtle smoky nuance to further support the fantasy-like environment created here. I was wondering that those two create a nice pair and they have ideas which are compatible, so i imagine that blending them would result in something interesting. My mind travels and wonders: maybe the black witch of black berrie has escaped this Immortal Meadow to cast her spell on our world? Maybe i'll have the answer tomorrow while i try wish upon a star, the final part of this saga.