Pesquisar este blog

20 de mai de 2015

Frederic Malle - Une Fleur de Cassie - Fragrance Review

Português (scroll down for english version):

É interessante observar que um dos perfumistas com o qual Frederic Malle mais trabalhou ao longo de seus lançamentos desde o lançamento da marca seja Dominique Ropion, que possui algumas idéias que a princípio parecem meio contraditórias com o espírito da marca. Ropion é de uma sinceridade que acho magnífica - o perfumista diz, sem meias palavras, que não há muita diferença de criação de um perfume para luxuoso para uma grife como a de Malle de um perfume para comercial, de orçamento limitado, para uma empresa como a The Body Shop. Ele defende, pode-se concluir, de que um bom perfumista é capaz de dominar os diferentes segmentos do mercado e saber não estragar materiais caros quando compondo criações luxuosas sem limite de verba. Na minha opinião, Ropion está certíssimo e ao trabalhar com verbas limitadas, aprende-se a usar a criatividade com os materiais disponíveis ao passo que num perfume de luxo como Une Fleur de Cassie é possível atingir um nível de refinamento extremamente luxuoso sobre uma estrutura mais acessível, tornando-a assim única.

Há um excelente artigo no blog Bois de Jasmin que fala sobre as duas principais flores tema dessa criação, a Acacia Farnesiana ou Cassie e a Acácia Dealbata, mimosa. Apesar de pertencentes a mesma família, as duas luxuosas flores possuem riqueza de detalhes e preços diferentes, com Cassie sendo mais luxuosa e restrita que a mimosa. Cassie possui mais aroma químicos em sua estrutura que lhe garantem nuances especiadas de canela e cravo, ao passo que a mimosa, apesar de também especiada, remete mais ao aroma de pólen, mel de flor e amêndoas. A literatura técnica aponta que para ambas é possível combinar uma boa variedade de essências naturais e sintéticas e que sua riqueza de nuances as tornam excelentes matérias primas para garantir naturalidade e arrendondar o aroma de uma composição.

Ropion, fã das duas, explora justamente um equilíbrio entre o papel principal de ambas em Une Fleur de Cassie em relação as outras essências com as quais elas combinam tão bem - sândalo, baunilha, rosa, flor de cravo, jasmim, aldeídos e iris. É provável que essa criação quando lançada em 2000 tenha sido mais intensa nas nuances de polen, mel, amêndoas e especiarias, mas as duas essências tem um potencial de alergia de contato que limitou seu uso ao longo do tempo com as restrições que foram surgindo. Ainda sim, em quantidades controladas, percebe-se um belo aroma delicado de amêndoas, uma nuance bem sutil indólica, o cheiro de mel floral, o aroma atalcado quente de cravo. O que veste essas diversas nuances me remete a uma estrutura clássica que poderíamos encontrar em um perfume da Chanel - e de fato Une Fleur de Cassie me lembra uma versão de Mimosa e Cassie do Bois des Iles. O aroma cremoso, aveludado do sândalo com a baunilha, o toque terroso e ao mesmo tempo delicado de íris, o aroma brilhante de aldeídos, tudo isso pode ser encontrado brilhante executado aqui,

No final das contas, mesmo na versão atual essa criação do perfumista evidencia um caráter principal que ele defende, que um bom perfume deve ter uma aura clara, bem reconhecível. Apesar de delicado, Une Fleur de Cassie produz uma harmonia de madeira, flores, especiarias e tons adocicados que é bem chique e que fica gravado na memória. A sinceridade de Ropion se alia, no final das contas, ao seu talento e sua experiência em produzir perfumes ainda melhores quando possui em suas mãos uma boa verba para isso.

English:

Interestingly, one of the perfumers that Frederic Malle has worked the most over his releases since the launch of the brand is Dominique Ropion, which has some ideas that at first seem kind of contradictory to the spirit of the brand. Ropion has a sincerity that I find magnificent - the perfumer says, bluntly, that there is not much difference in creating a perfume for for a luxury brand like Malle a perfume  or for commercial and restricted budget, for a company like The Body Shop. He argues, it can be concluded, that a good perfumer is able to master the different segments of the market and know not to spoil expensive materials when composing luxurious creations without funding limit. In my opinion, Ropion is absolutely right and when working with limited funds, we learn to get creative with the materials available while  with a luxury scent as Une Fleur de Cassie is possible to achieve an extremely refinement level on a structure more accessible, thus making it unique.

There is an excellent article in the Bois de Jasmin blog that talks about the two main flowers theme of creation, Acacia Farnesiana or Cassie and Acacia Dealbata, mimosa. Although belonging to the same family, the two luxurious flowers have different richness of details and prices, with Cassie being more luxurious and restricted than mimosa. Cassie has more aroma chemicals in their structure that will ensure nuances of spicy cinnamon and carnation, whereas mimosa, although also spicy, has more of to pollen, flower honey and almond aroma. The technical literature shows that for both  combine a with a good variety of natural and synthetic essences and its richness of nuances make them excellent materials to ensure naturalness and roundness to a composition.

Ropion, fan of both, just explores a balance between the lead role of both in Une Fleur de Cassie over other essences with which they combine so well - sandalwood, vanilla, rose, clove flower, jasmine, iris and aldehydes. It is likely that this creation when launched in 2000 has been more intense in the nuances of pollen, honey, almonds and spices, but the two essences have a allergy contact potential which limited their use over time with the restrictions that were emerging. Still, in controlled amounts, you can see a beautiful delicate aroma of almonds, a very subtle indolic nuance, the smell of floral honey, hot powdery scent of cloves. What wears these various nuances leads me to a classical structure that we could find in Chanel fragrance - and indeed Une Fleur de Cassie reminds me of a Mimosa and Cassie version of Bois des Iles. The creamy aroma, velvety sandalwood with vanilla, earthy touch and at the same time delicate iris, bright aroma of aldehydes, all of this can be found brilliant executed here,

After all, even in the current version shows a main character that he advocates, that a good perfume should have a clear and recognizable aura. Although delicate, Une Fleur de Cassie produces a woody, flowery, spicy harmony of discreet sweet tones wich is very chic and that remains in the memory. The sincerity of Ropion allies, after all, to his talent and experience to produce even better perfumes when he has in his hands on a good budget for it.