Pesquisar este blog

24 de mai de 2015

Frederic Malle - En Passant Fragrance Review


Português (scroll down for English Version):

Um dos perfumistas que eu admiro pelo trabalho minimalista é a Olivia Giacobetti. Diferente do Ellena, que me parece sempre ir na mesma direção, Oliva é capaz de compor do exótico ao delicado primaveril. Ela domina um tema abstrato como o circo em um de seus melhores, Dzing! para a L'Artisan, mas também sabe criar aromas perfeitos para heroínas românticas e clássicas - En Passant se encaixando nessa categoria.

En Passant é um ode a uma das flores associadas com a primavera, o Lilás, flor de delicado aroma, que rende pouco durante a extração e cujo o aroma deve ser reconstruído utilizando-se sintéticos e outras flores para criar seu cheiro. Uma das flores favoritas de Frederic Malle, Giacobetti lhe dá um cheiro que parece - da mesma forma que Lys Mediterrane - um sopro de seu aroma carregado no vento de um dia quente. Não é encorpado, mas também não é tão sutil assim. En Passant abre com um aroma aquático sutil, que me parece o aroma frutado e metálico do helional, para depois se transformar em um floral branco. O Aroma do Lilás aqui se aproxima mais do cheiro que criam para o lírio do vale, um aroma floral branco seco, de nuances cerosas, um aspecto de folhas verdes talvez, e só de fundo um tom amendoado bem sutil e um quê de iris e violetas talvez. É uma flor que exala delicadeza por um bom tempo, A Base em En Passant serve mais para sustento da delicadeza do Lilás, com um aroma com um quê de almíscar e um leve cheiro salgado e macio que eu atribuo a nota de trigo.

De forma geral os perfumes Frederic Malle são bem compartilháveis, mas En Passant certamente parece que será mais apreciado pelo público feminino talvez, pela sua delicadeza e aroma floral primaveril. Para quem gosta de composições delicadas é uma bela criação.

English:

One of the performers I admire the minimalist work is Olivia Giacobetti. Unlike Ellena, which seems to always go in the same direction, Oliva is able to compose from exotic to the delicate springish creation. It dominates an abstract topic like the circus in one of her best, Dzing! for L'Artisan, but also knows how to create perfect scents for romantic and classical heroines - En Passant fitting that category.

En Passant is an ode to one of the flowers associated with spring, Lilac,  a delicate flower which yields little during the extraction and whose aroma has to be reconstructed using synthetics and other flowers to create its smell. One of the favorite flowers of Frederic Malle, Giacobetti gives it a smell that seems - just as Lys Mediterrane - a whiff of the scent carried on the wind of a hot day. It is not full bodied, but it's not so subtle way either. En Passant opens with a subtle aquatic aroma, which seems to me the fruity and metallic helional, then turn into a floral white accord. The Lilac aroma here is closer to the smell they create for lily of the valley, a dry white floral aroma of waxy nuances, a green leafy impression perhaps, and only at the background  a very subtle almond nuance and a hint of iris and violets maybe. It is a flower that exudes gently for a long time, The base in En Passant serves more to keep the delicacy of lilac, with an aroma with a hint of musk and a slight salty and soft smell that I attribute the wheat note.

In general, the Frederic Malle perfumes are well shareable, but En Passant certainly seems to be more appreciated by the female audience perhaps for its delicacy and spring floral aroma. For those who like delicate compositions is a beautiful creation.