Pesquisar este blog

19 de fev de 2015

Calvin Klein One Shock Him Fragrance Review


Portuguese (scroll down for the english version):

Eu acho intrigante esse lançamento de 2011 da Calvin Klein. Primeiro, pela associação improvável com o perfume One, do qual Shock é uma espécie de flanker e que não tem nada a ver com o original. Segundo, por ser um perfume acessível bem feito, com começo, meio e fim, que consegue fazer algo muito bom dentro da tendência atual de perfumes carregados em sintéticos de tabaco, ambar e aromas doces. E o terceiro, o mais chocante para mim, é que a diferença estrutural de um perfume desse para alguns perfumes de nicho é, talvez, o peso maior em determinadas notas e uma concentração basicamente maior, o que me deixa bem claro que em alguns casos (não é possível generalizar em nenhum dos segmentos) que muitas vezes o que se paga caro é a exclusividade, frasco mais elaborado e algo um pouco mais potente. Considerando o custo-benefício, certamente Shock é um ótimo tabaco ambarado para quem não deseja gastar muito. É aquele tipo de tabaco com nuances mais dark, esfumaçadas, com um tom doce de amêndoas e baunilha, e um ambar luminoso arredondando a aura geral do perfume. Dá para perceber que outras notas listadas aqui contribuem de forma secundária, para dar forma ao acorde de tabaco, deixá-lo menos cru, mas sem sair da ideia principal que tem feito sucesso. Eu percebo toques de pimenta, um leve que floral emborrachado de osmanthus, um aroma cremoso de musk e lavanda. É um perfume que me faz lembrar que a perfumaria comercial pode produzir muito perfume medíocre, mas não deve ser subestimada na sua capacidade de criar coisas boas.

English:
I think this is an intriguing 2011 Calvin Klein launch. First, for the unlikely association with the One fragrance, which Shock is a kind of flanker for which it doesn't have anything to do with the original. Second, for being, a rarity in Calvin Klein portfolio, a well done affordable fragrance, that has very defined beginning, middle and end, something able to do a nicely crafted synthetic composition in the trend of masculine compositions heavy on tobacco, amber and sweet aromas. And third, the most shocking for me, is that the structural difference between a fragrance like this and some niche fragrances is, maybe, the heavier weight on some certain notes and a more concentrated version for the niche option, which leaves very clear to me that in some cases (it's not possible to generalize in any of those segments) in many times what you paid expensive is the exclusive factor, a more elaborated presentation and something a little bit more powerful. But considering the price-benefit, certainly Shock is a great amber tobacco for someone that is not willing to pay so much. It's that kind of tobacco accord with a darker nuance, smoky one, with a nuance of almonds and sweet vanilla and a luminous amber rounding the main fragrance aura. You can see some of the other notes listed contributing in a minor and secondary way, to shape this tobacco accord, to make it less crude but without going out of the successful main idea. I can see some peppery touches, a slightly  rubbery floral aroma which makes me think of osmanthus and a creamy combination of musk and lavender. Overall, this is a fragrance that reminds me mainstream perfumery may produce a lot of poor perfumes but that it must not be understimated in its ability to create good products.