Pesquisar este blog

22 de jan de 2015

Coty L'Origan Cologne Review



Português (scroll down for english version):

Os perfumes contam por meio de seus aromas a história da humanidade também e ao sentir Coty L'Origan eu fico pensando por quê não há uma regra de patrimônio da humanidade para perfumes historicamente importantes e que são obras de arte, impedindo empresas como a Coty de baratear e, dessa forma, destruir o que é belo e importante. Com 110 anos de idade já, é para mim uma prova d
e que o luxo e a beleza é atemporal: pode parecer pertencente a outra época, mas ainda sim continua magnífica em suas proporções perfeitas. Há histórias que relacionam Coty L'Origan tanto ao L'Heure Bleue como ao Apres L'Ondee, mas L'Origan tem sua beleza própria e eu me questiono se os 3 perfumes não foram influenciados pelas novas e fascinantes moléculas sintéticas disponíveis para o perfumista na época: o aroma doce e purpura de violetas e iris das metil iononas, a doçura da vanilina, o aroma amendoado da heliotropina e da coumarina, o cheiro amadeirado e sóbrio do acetato de vetiver, e os substitutos para essências animais, os nitromusks e a civeta. Dessas, pode se perceber que a heliotropina tem um grande papel no L'Origan, o que o aproxima assim do Apres L'Ondee. Porém, a execução aqui está longe do estilo delicado e impressionista dessa grande obra da Guerlain, se aproximando mais do L'Heure Bleue tanto pela intensidade como pelo papel importante que o aroma da laranjeira e do cravo da índia tem ambos. Ainda sim, L'Origan para mim se distingue por ter uma aura bem intensa de cravo, um uso secundário do aroma acridoce que alguns acordes de laranjeira possuem. Também, a terrosidade do L'Heure Bleue não está presente aqui em grande evidência, deslocando o eixo do acorde na direção do aroma da vanilina, coumarina, com um leve jasmim e rosa de fundo para acrescentar um colorido floral a idéia. A base é cremosa, de nuances amadeiradas e com um musk que complementa a aura levemente atalcada e sofisticada da idéia. L'Origan é uma mistura perfeita de sintéticos e essências naturais, um exemplo de que ambos, quando usados juntos, produzem obras primas. É simplesmente um perfume magnífico que um apaixonado por perfumes deveria conhecer, pelo menos pela sua importância histórica.

English:

The perfumes tell through its aromas the mankind history and smelling Coty L'Origan i got thinking why there isn't any world heritage rule for historical important fragrances that are truly art works, preventing companies like Coty to cheapen it and, this way, destroying what was beautiful and important. With already 110 years, it's a proof for me that the real luxury and beauty is timeless: it migh look like part of another age, but it still magnificent in its perfect proportions. There are histories that relate Coty L'Origan to both L'Heure Blue and Apres L'Ondee, but L'Origan has its own beauty and i question if the three fragrances weren't influenced by the new and fascinating synthetic molecules available to the perfumers at that time: the sweet, purple, iris and violet like aroma of the methyl ionones, the vanillin sweetness,the almondy, cherry-like smell of heliotropin and coumarin, the sober woodiness of vetiveryl acetate and the animalic essence substitutes like civet and nitromusks. From those, you can see that the heliotropin has an important role on L'Origan, which approximate it from Apres L'Ondee.Still, the execution here is far from the delicate and impressionist style of this major work from Guerlain, being close to L'Heure Bleu for the intensity and the main role that orange flower and clove has on both fragrances. Further, L'Origan distingues itself for having a much intenser spicy and oily clove aura and a secondary use of the bittersweet orange flower aroma that some neroli accords have. Also, the earthiness of L'Heure Bleue is not present here in great evidence, shifting the accord axis into the direction of vanillin and coumarin, with a subtle rose and jasmine touch to give the idea a floral hue.L'Origan base is creamy, of woody nuances and with a musck that complements the slightly sophisticated powdery aura of its idea. L'Origan is a perfect blend of synthetic and natural essences, an exemple of that both, when used together, produce masterpieces. It's simply a wonderful perfume that a fragrance lover should know at least for its historical relevance.