Pesquisar este blog

20 de jan de 2015

Comme des Garcons WonderOud Review



Português (scroll down for english version):

Bem, se a primeira impressão do CDG Wonderoud é de que ele não é o típico perfume de oud, é uma impressão correta. Seus perfumistas desde o começo não o fizeram para ser assim, e inclusive, pelo que divulga a marca, sua estrutura foi criada inicialmente sem nenhum oud, até que fosse introduzida, a pedido da PUIG, uma variedade de cultivo da Indonésia da qual a Givaudan tem acesso. E assim, Wonderoud é para mim uma versão caleidoscópica do Wondewood original. Todos os elementos dele estão aqui: o cedro, o sândalo, o aroma verde, quase lembrando queijo, do cipreste, o vetiver, o gaiac, o cheiro seco das especiarias, a nuance de incenso. Entretanto, não é exatamente uma estrutura de evolução linear ou clássica, de 3 camadas. É como se, de alguma forma, as madeiras formassem imagens que se agitam, dissolvem-se e formam outra imagens olfativas na evolução. Cheiro por breves minutos o aroma de oud que me remete a um cheiro de nargamota menos denso, mais fresco. E então, rapidamente sai o oud de foco e percebo o aroma de um sândalo seco, depois o cheiro curioso da madeira de cipreste, que lembra aroma de folhas verdes com algo levemente mofado que remete a queijo. Antes que se torne forte demais essa impressão, o vetiver se mistura ao cheiro, muda o foco do verde do cipreste para o aroma verde de grama e madeiras do vetiver e quando você se dá conta percebe que o amadeirado do vetiver está misturado ao agarwood também. É um perfume no mínimo curioso, a alternância de impressões amadeiradas é algo que eu não me lembro de ter visto assim em outra criação

English:

Well, if the first impression of CDG Wonderoud is that it's not a typical oud perfume, it's a correct one. Your perfumers since the beginning didn't do it to be like that, and including, from what the brand revealed, your structure was made without any oud, until it was introduced some, at the request of PUIG, a variety of Indonesian Oud that Givaudan had acess to. And, this way, Wonderoud end being for me a kaleidoscopic version of the original Wonderwood. All its main elements are here: the cedar, the sandalwood, the green, almost cheese like, cypress, the vetiver, the gaiac, the dry spice aroma, the incense nuance. Still, they don't form either a linear or a classical three layers evolution. It's like, somehow, the woods made images that shake themselves, dissolve and them formed another olfactive shape during its evolution. I smell for quick minutes an oud aroma whith reminds me of a nargamotta one less heavy, more fresh somehow. And then, promptly the oud go out of focus and i notice a dry sandalwood aroma, and then after the curious aforementione cypress, which reminds me of green leaves with something slightly moldy that reminds me of cheese. Begore this impression become overwhelming, the vetiver mixes itself to the smell, changes the focus of the cypress to aits green grass and wood vetiver aroma and when you realize you notice that the vetiver woody aroma is itself mixed into the oud too. It's a fragrance at least curious, the interchange of woody impression is something that i don't remember having seeing happening this way in another creation..