Pesquisar este blog

18 de jan de 2015

Byredo 1996 Inez & Vinoodh


Português (scroll down for english version):

Eu confesso que sempre tive uma implicância com a casa de perfumes Byredo. Não que suas criações chegassem a serem ruins, apenas não me pareciam condizentes com o posicionamento que o seu preço lhes dava. Me parecia que faltava um elo claro entre as inspirações, tão pessoais, e os perfumes, que poderiam pertencer a qualquer grife. Por isso me surpreendi com 1996, parceria entre a grife e a dupla de fotógrafos Inez Van Lamsweerde and Vinoodh Matadin.
A idéia nasceu primeiramente como uma edição limitada de presente aos amigos da dupla, um presente inspirado em suas notas favoritas e pela fotografia 'Kirsten, 1996'. Imagino que a reação tenha sido muito positiva e a marca e os fotógrafos perceberam que tinham em mãos um produto que poderia ser um sucesso comercial.
1996 é realmente aconchegante, quente e que não parece nem exatamente moderno nem antiquado também - exatamente como sua inspiração descreve. Seu eu fosse resumi-lo, diria que é uma criação de iris em um bom fundo de ambar e patchouli. A iris aqui me parece delicada, desprovida de suas nuances de violeta ou de seu aroma mais frio. É uma iris que me lembra muito o aroma de cenoura, aquela textura do cheiro da cenoura que é levemente doce, um pouco terrosa e, de alguma forma, laranja em seu cheiro. É um aroma orgânico e delicioso para mim, que é acompanhado por uma boa mistura de patchouli e ambar - um ambar com mais ênfase no aroma da baunilha e que junto com o patchouli acaba passando uma sensação de chocolate meio amargo na pele. Gosto de como as especiarias são usadas nessa criação, dando um toque picante fresco que permanece secundário e serve para suavizar a intensidade das notas de base. Se o que você procura é uma iris oriental bem feita, 1996 pode ser uma excelente opção.

English:
 I confess that i always had a peeve with the fragrance house Byredo. Not that its creations were bad, but the didn't seemed consistent with the position that their price put them I felt that there was lacking a clear nexus bettwen the very personal inspirations and the fragrances, that could been part of any other brand. Because of this i got surprised with 1996, born from the parternship bewteern the brand and photrographers duo Inez Van Lamsweerde and Vinoodh Matadin.
The idea was born initially as a gift limited edition to the friends of the photrographers duo, one which was inspired in their favorite notes and the 'Kirsten, 1996', photography. I imagine that the reaction was quite positive and both the brand and photrographers saw that they had in their hands a product which could be commercial success.
As they describe, 1996 is really cozy, warm and doesn't seem exactly ultra modern neither old fashioned. If i was going to sum up, i would say that it's an iris creation in a good ambar and patchouli background. The iris here seems for me delicate, devoid of its violet nuances or its cold aroma. It's an iris accord that reminds me a lot of the carrot aroma, that texture of a carrot which is slightly sweet, earthy and, somehow, orange on its smell. It's an organic aroma delicious for me, which goes along with good mixture of patchouli and ambar - an ambar which gives more emphasiss on the vanilla part and that with patchouli ends producing a sensation of semisweet chocolate on skin. I like how the spices are used in this creation, giving a fresh spicy touch which is secondary and it's used to soften the base notes intensity. If you are looking for a good oriental iris, 1996 is a great choice.