Pesquisar este blog

16 de jan de 2015

4160 Tuesdays Sunshine & Pancakes


Português (scroll down for english version):

A princípio, eu confesso que não tinha prestado muita atenção nessa marca britânica, mas devido a ajuda do meu amigo Hélio, que me despertou a curiosidade e me trouxe pequenos frasquinhos para testar, vir que estava perdendo algo interessante e que tem se tornado mais difícil de encontrar na perfumaria. Hoje aparentemente você tem dois caminhos a seguir, a perfumaria comercial, que depende mais da sua imagem e marketing e que se mantém segura nas mesmas idéias que já são garantia de vendas, e a perfumaria de nicho, que hoje se tornou sinônimo, em boa parte, de perfumes caros, de ostentação, de variação de qualidade, de forma que é as vezes vc sente um perfume de nicho e fica na dúvida se não está sentindo um perfume comercial. Ambos acabaram se tornando rótulos no fim das contas, que dependem mais da aparência do que da essência em si. E em alguns poucos casos, você encontra talento em perfumistas independentes, caso da artista Sarah McCartney, que parece por senso de humor em suas criações ao mesmo tempo que as leva as sério e que te convida a interpretar cada uma delas pelo seu caminho. É interessante isso, um perfumista artista que admite múltiplas interpretações em sua obra em uma indústria onde o que impera, em geral, é um caminho fixo passado ao consumidor. Sunshine and Pancakes é assim, se você lê a descrição dele no site da autora você tem pistas do que ele pode ser, mas ainda sim é deixado aberto para que o consumidor o entenda personalmente. Para mim, Sunshine and Pancakes tem algo de um conforto clássico em seu aroma. Ele me faz pensar em chá, em um dos meus chás prediletos, o Earl Grey Tea clássico da Twinings of London, e por isso imediamente penso nele com uma aura britânica aconchegante. É um aroma cítrico contraditoriamente doce e amargo, que tem o balanço ideal entre os dois lados e que me faz pensar em bergamota, petitgrain de laranjeira e cheiro de chá quente. É um aroma que desperta os sentidos, simples mas complexo em sua simplicidade. Eu não percebo exatamente cheiro de panquecas nele, mas noto um delicioso aroma doce e cremoso, com algo que me remete talvez a baunilhas, cardamomo e uma massa leve que parece ter sido feita de amido de milho. Essa parte é a mais interessante para mim, não me lembro de nada com essa mistura de baunilha cremosa e aroma docinho de milho. Apesar da aura culinária, ele não é exatamente gourmand, ele tem aquele aspecto abstrato adulto em relação a aromas comestíveis que poucas marcas conseguem atingir e isso em si já é um bom motivo para que você o conheça.

English:

At first, i confess that i haven't paid much attention to this british brand, but due to help and generosity of my friend Helio, which brought my attention to it and gave me some minis to try, i saw that i was missing something interesting and that seems hard to come by lately in the fragrance industry/world. Today apparently you have two paths to follow with those paths having many nuances on them. One is mainstream perfumery, that seems to more and more relies on images, publicity and marketing e that plays safe on the same ideas that are already successful from sales perspective. Then you have the niche perfumery, that also seems to more and more become a synonym for expensive fragrances, ostentation, same notes exploration and also a big fluctuation in quality from artistic perception which makes it sometimes (or most of the times lately) hard to stand apart from the mainstream side. Both ended becoming labels that even not working the same way rely on the same thing: the prevalence of appearance over the essence itself. And in some few cases, you find talent in indie perfumers, like the artist Sarah McCartney, that seems to put individuality and sense of humor in her creations at the same time that takes them seriously, also calling you to understand them your own way. For me this is quite interesting, a perfumer (that i call artist, because it's how i see her) that admit multiples interpretations on its work in an industry that what is the usual is defining a fixed path to the consumer follow. Sunshine andPancakes is an example of what i explained before; if you read the text that Sarah has put in her website you have good clues of what he might be or what has inspired her, but even though you are left to understand it personally. For me, Sunshine and Packaces has something of a classic comfort on its aroma. It makes me think of tea, about one of my favorite ones, the classic Twinings of London Earl Grey Tea, and maybe this make it immediatly smell very british and cozy. It's a citrus aroma contradictorily bitter and sweet, that has the ideal balance of the two sides and that the overall aura makes me think of bergamot, orange petitgrain and the smell of boiling hot tea. It awakens the senses with something simple but complex in its nuances. I don't take exactly the smell of pancakes on it, but i notice a very good and delicious sweet creamy aroma that reminds me of vanilla, cardamom and the aroma of a soft paste that seems made of corn starch. This is the most intereting part to me, i don't remember anything else with this mixture of creamy vanilla and lightly sweet corn. Altough it has this culinary aura, it's not exactly gourmand, it that adult abstract take on edible aromas that few brands seems able to achieve, and this is, among what else i have mentioned before, a good reason to at least try it.