Pesquisar este blog

29 de dez de 2012

3 Momentos de Destaque - Março 2012



A escolha de Março me fez refletir novamente o quão difícil é fazer uma lista. Março em termos de grifes foi um mês eclético, e com poucos perfumes que realmente me decepcionaram ou que passaram em branco. É um mês que seria mais fácil escolher 3 perfumes que eu não gostei de usar do que 3 que eu gostei de usar. Com tantas escolhas a fazer, tive que deixar alguns de fora que eu considero realmente bons e que eu comento os nomes abaixo. Os 3 escolhidos, como eu disse no começo, são 3 que eu amo, 1 deles um velho conhecido e 2 novidades que tive o prazer de conhecer na pele em Março.

Poderiam ser Top 3, mas não foram: Neela Vermeire Trayee, Armani Prive Bois d'Encens, Histoires de Parfums 1740, Cartier L'Heure Defendue, Bond No 9 Harrods Amber,Micallef Gaiac, Hermes Eau des Merveilles

1 - Gloria Cacharel. Gloria Cacharel é o velho conhecido de março e que merece meu destaque pois é um dos meus amados desde o momento que o conheci a uns 4 anos atrás. A Cacharel, por motivos desconhecidos, é um grife péssimamente administrada em termos de marketing e distribuição, o que provavelmente ocasionou a descontinuação de Gloria. É um perfume que não faria feio numa coleção de nicho atual, uma criação bem desenvolvida que gira ao redor de amêndoas, doce e amargas, rosas sedosas e uma base licorosa de baunilha e musk. Gloria tem uma das linhas mais interessantes que eu já vi em um perfume, onde cada produto ressalta um acorde diferente do perfume. O óleo corporal era um dos melhores,dando um aroma caramelado e torrado as amêndoas que prolongava o bem estar do banho de uma forma deliciosa.

2 - Amouage Homage Attar - Se os perfumes mais ocidentais da Amouage já são bem luxuosos, os attares são ainda mais e Homage é um dos melhores da linha. Uma criação bem elogiada pelos blogs e críticos que em março desse ano eu conheci e pude entender o motivo de tanto entusiasmo: é simplesmente um perfume sensual, rico e cativante de incenso, flores e agarwood, que me parece um elixir abstrato com o que há de melhor. O considero viciante e se eu pudesse comprar apenas um em 2013, seria a minha escolha.

3 - Frederic Malle Dans Te Bras - Ainda que o Musc Ravageur seja o Frederic Malle criado por Maurice Roucel mais celebrado e popular, Dans Te Bras, outra criação do Roucel, é um dos perfumes que mais marcou 2012 para mim e por isso eu o escolho. Maurice Roucel sabe como jogar com inocência e sensualidade em seus perfumes, brincando com aromas sujos que seriam repulsivos por si só mas que funcionam dentro da dinâmica que ele compôe. Em Dans Te Bras, uma Violeta floral, ingênua e atraente, com um aroma doce e envolvente de Heliotropo, que remete a criações clássicas luxuosas,estão em contraste com uma base amadeirada, mais terrosa, quase suja, e com um aroma periférico, levemente salgado e que remete a pele. A impressão que eu tenho é que Maurice Roucel revisita vários elementos sensuais de composições passadas suas e cria o que talvez seja uma de suas obras-primas dentro de seu vasto catálogo de cativantes criações.