Pesquisar este blog

29 de dez de 2012

3 Momentos de Destaque - Junho 2012




Junho é definitivamente o mês mais complicado de escolher 3 perfumes para destacar, pois foi o mês que eu fiz a segunda temática do ano, usando apenas perfumes da Guerlain. É uma grife que desde suas primeiras criações , ainda na época napoleônica, se preocupou em sempre aliar tradição a modernidade, ao criar luxos olfativos mas sem se esquecer da sua identidade. E é, junto com grifes como Coty, Houbigant e Chanel, umas das maiores influenciadoras da perfumaria como conhecemos contemporaneamente, que nos brindou com criações como Jicky (um dos primeiros perfumes a usar sintéticos e uma das primeiras criações modernas), Mitsouko (um dos primeiros perfumes Chypre), Shalimar (um dos primeiros perfumes orientais), Habit Rouge (uma das primeiras criações orientais voltadas para o público masculino). E suas criações são atemporais, tão novas e relevantes hoje quanto no passado, e foram capazes de sobreviver até o momento as reformulações necessárias. A grife entendeu também que para sobreviver não bastava apenas manter seu catálogo de criações e estilo clássico e continua, por isso, tentando aliar tradição a modernidade, de olho no que o consumidor contemporâneo deseja e oferecendo, com diversidade, criações que continuam a conquistar novos fiéis a grife. Os 3 perfumes escolhidos abaixo não são necessariamente os melhores da grife, até pq escolher apenas 3 melhores de uma grife com um catálogo de mais de 100 criações é uma tarefa complicada, e sim 3 que eu pessoalmente gostaria de colocar em evidência agora.

L'Heure Bleue Parfum - L'Heure Bleue está (junto com Shalimar, Mitsouko, Jicky e Vol De Nuit) entre os pilares da Guerlain, sendo um de seus perfumes mais cativantes e emblemáticos. Não é a toa que completou esse ano 100 anos de existência ininterrupta nas prateleiras, conquistando até hoje apaixonados por seu cheiro. L'Heure Bleue é uma das criações mais impressionistas da grife, onde as notas parecem cuidadosamente equilibradas para se justapor uma a outra, evitando predominâncias de determinadas notas na pele e criando uma aura que é maior do que seus elementos combinados, uma aura quente, especiada, gourmand de uma forma bem adulta. A versão parfum em sua formulação atual põe em evidência exatamente o aspecto gourmand adulto, que sempre fez parte da Guerlain décadas antes de se pensar em uma tendência gourmand, um aroma que remete a um sofisticado marzipã, um aroma delicado e cremoso que remete a amêndoas, baunilha, iris, tonka na pele. L'Heure Bleue Parfum é viciante, como um bom Guerlain é.

Songe d'Un Bois d'eté - 2012 foi um grande ano para a Guerlain, com flankers, relançamentos e edições comemorativas que conquistaram o público e foram sucesso de vendas. Um dos maiores sucessos, que talvez nem a grife esperava, foram o trio inspirado na perfumaria árabe clássica e no aroma de oud, duas grandes tendências no momento. A princípio planejado para vender somente no mercado árabe, o trio despertou bastante atenção, vendeu seu primeiro lote em menos de 3 meses e já ganhou uma distribuição mais ampla nos segmentos de distribuição mais luxuosos da marca. As 3 criações são perfeitas, mas escolho Songe d'Un Bois pela capacidade que ele teve de criar um perfume de agarwood que utilizasse de forma central os aspectos incensados, amadeirados e animálicos dessa resina e ainda aliá-lo a um estilo mais abstrato, complexo, etéreo, que reflete o convite a um passeio onírico por uma floresta misteriosa e abstrata. Um belíssimo perfume e um dos destaques da grife em 2012.

Bois d'Armenie - Bois d'Armenie foi um dos primeiros Guerlains que eu conheci e que me despertou o interesse pela grife. Parte da coleção L'Art Et Matiére, é um belo exemplar que une tradição e modernidade, se inspirando no clássico produto francês papier d'Armenie para criar uma luxuosa composição centrada na resina principal desse papel aromático, o benjoim, concebendo assim um perfume simples e complexo ao mesmo tempo, que revela uma aura dourada abstrada, periférica mas sempre presente, de um aroma de nuances especiadas, amadeiradas, incensadas e sutilmente doces. Bois d'Armenie é como um bom Guerlain, pode ser interpretado de formas diferentes de acordo com quem o usa e é fiel a sofisticação, luxo e riqueza dos clássicos da marca.