Pesquisar este blog

29 de dez de 2012

3 Momentos de Destaque - Fevereiro 2012



Olhar para fevereiro e escolher apenas 3 perfumes foi uma tarefa difícil. É certo que houveram decepções (Como Chanel Beige, 19 Poudre e o Cartier de Lune, por exemplo), mas são em menor número do que os que foram apreciados no mês. Pelo que eu me lembro Fevereiro desse ano por aqui foi um mês atípico, com dias de calor intercalados com dias de frio, o que permitiu usar algumas criações que ficariam mais restritas ao inverno. Depois de pensar um pouco (e de deixar para trás alguns), escolho em fevereiro os seguintes 3:

Parfums de Rosine Twill Rose - Meu contato com essa casa de perfumes começou um ano antes, em 2011, quando estreei um sabonete ganhado de presente e que era aromatizado com esse perfume de Rosas voltado para o público masculino. O sabonete era tão bom, um aroma negro e levemente frutal de rosas com incenso, que me levou a querer conhecê-lo. É uma criação ousada de rosas destinada aos homens, bem elegante e que até hoje eu não conheci outra igual. Como sou apaixonado por rosas, incenso e por bons sabonetes, escolho-o como uma dos 3 de fevereiro.

Chanel 28 La Pausa - Esse perfume está para a Chanel em termos de assinatura olfativa o que o Guerlinade está para a Guerlain (obs: para quem não sabe, Guerlinade é o nome dado a assinatura olfativa clássica da grife que, entre várias coisas, envolve Baunilha, Iris, Tonka e que aparece de diversas formas nas criações mais clássicas da casa). La Pausa apresenta, sem adornos, o que é presente em várias das criações da Chanel (ainda mais na linha exclusiva), uma combinação de iris e flores adocicadas sob uma base acourada leve. Apesar da presença de flores, a iris dá a composição uma aura mais clean, minimalista e compartilhável, uma escolha não óbvia para dias de calor.

Amouage Ciel Man - A escolha dessa Amouage não é apenas pela qualidade, visto que essa característica está presente em quase todas as composições da casa, e sim pelo aroma clássico, bem executado e que ainda sim corre alguns riscos, especialmente na saída, que é um pouco floral cítrica e com um aroma herbal um pouco animálico que poucos perfumes masculinos se arriscam a ter. A saída pode até assustar a princípio, mas usando-o mais vezes é possível notar que a combinação dela com a base mais amadeirada, seca e especiada funciona muito bem e dá uma cara inusitada ao que poderia ter sido um perfume mais comum e sem graça.