Pesquisar este blog

11 de fev de 2012

Lalique Nilang (Ed 2011)

Nota: 5,5Fixação: 6 horas
Rastro: entre o moderado e o discreto

Lalique chega tarde a competição com Niilang, um chypre moderno que tem tudo que os seus antecessores têm. Se não bastasse isso, a grife não se esforça 1% sequer em produzir algo que soe um pouco pessoal a marca, que consiga-a refletir de alguma forma. O resultado é um chypre meramente agradável e sem identidade, que começa com um aroma frutal fresco, como o esperado, feito de pêssego e melão, vai em direção a um coração floral branco doce e clean, como o esperado, e termina em uma base genérica de patchouli e musk, como o esperado. É um perfume na multidão, mais um para um exército de beldades genéricas e sem face, que receiam ser um pouco únicas com medo de ofender ou desagradar a alguém. Não faz falta nenhuma.