Pesquisar este blog

12 de out de 2011

Fahrenheit Absolute - Christian Dior Avaliação/Review






Notas: Violeta,  Agarwood, Mirra, Incenso, Notas Aromáticas, Couro

Lançado 21 anos após o ousado perfume de couro e violetas, parece mais adequado enquadrar Fahrenheit Absolute em uma sequência do original do que um flanker do mesmo. Como um flanker, Absolute possui mudanças significativas tanto nos primeiros momentos como nos últimos momentos de seu cheiro, que o distanciam do Fahrenheit. Entretanto, percebe-se que Absolute pega a idéia central do acorde de violetas e a insere em um novo contexto, em uma aura oriental intensa, carregada em aromas resinosos doces, em incensos ligeiramente secos e em um uso restrito do couro, mais sugerido como uma aura de nuances amadeiradas e ambaradas do que um aroma de couro propriamente dito.

Absolute surpreende num primeiro momento ao colocar a Mirra em evidência. Um aroma que costuma se tornar predominante na maioria dos perfumes conforme o tempo passa, o cheiro levemente incensado, doce e resinoso da mirra é o que o marca o início dessa versão intensa e é uma aura que se mantém no perfume conforme as mudanças ocorrem na pele. As notas aromáticas criam um rápido link a saída cítrica do original, porém elas duram apenas os primeiros minutos e logo após a mirra domina. Junto com ele, progressivamente o aroma de violeta vai aparecendo no cheiro, uma violeta que usa também o aspecto floral e não somente o herbal. Essa violeta é envolta em um incenso presente, porém menos doce que o lado incensado da mirra, focando mais no lado amadeirado. O floral da violeta aos poucos ganha um contorno ambarado, luminoso e amadeirado, criando uma espécie de por-do-sol olfativo alternativo ao oferecido pelo original, um que foca mais na luminosidade ambarada, no lado floral e apenas sugere o aspecto amadeirado e acourado da composição.

Fahrenheit Absolute pode não parecer a princípio ligado ao Fahrenheit, porém se percebe que em sua evolução a dinâmica se mantém a mesma, com participações diferentes em cada fase, mas mantendo a saída aromática, o coração de violetas e a base de couro e madeira. A intensidade aqui não nos é entregue no couro da base, e sim na parte central de violeta, oferecendo um uso mais ousado do aroma da violeta para o público masculino, que em geral a encontra em overdoses sintéticas de perfumes baratos e malformulados. A melhor forma de apreciá-lo talvez é esquecer seu nome e ligação com a outra criação e curtir seu complexo e dinâmico aroma adocicado, incensado, floral e amadeirado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here