Pesquisar este blog

4 de set de 2011

Wall Street - Bond No 9 Avaliação/Review

Notas: Couro, ambar, lavanda, pistache, musk,pepino, alcaravia, vetiver, laranja amarga, aromas cítricos, resinas

Notas percebidas de acordo com a evolução na pele (observação pessoal):

          Nos primeiros 15 minutos:  Pistache, pepíno, laranja amarga
       
          Dos 15 minutos em diante às 2 primeiras horas: pepino, lavanda, couro

          A partir das 2 horas até o final da evolução:musk, traços de vetiver

Avaliação resumida do perfume (clique em leia mais para uma opinião completa): perfume fresco sem personalidade ou evolução interessante

Com Wall Street, Bond No 9 mostra que nem sempre dinheiro e qualidade ou dinheiro e originalidade estão juntos na mesma frase. O coração financeiro de Nova York recebe um perfume morno e sem graça, meramente agradável e sem personalidade, que sugere pessoas tão apressadas em suas rotinas que nem se importam mais em escolher um perfume duradouro e que as agrade e represente sua personalidade. Wall Street é uma criação mercenária, que procura o dinheiro do consumidor sem oferecer algo em troca a altura do que é cobrado.

Se Wall Street fosse uma transação financeira, uma compra de ações, seria uma que parece valorizada a princípio mas que despenca para o que ela vale rapidamente, quando se descobre que ela não tem nada que a sustente.A saída tenta criar uma idéia aquática mais elaborada do que o oferecido em geral no mercado comercial, se aproximando muito dos perfumes aquáticos masculinos. O pepino predomina com seu frescor e é combinado com o cheiro cítrico da laranja e adocicado pelo pistache. Após isso, Wall Street  vai rapidamente para um coração onde a lavanda predomina e parece amarga e mal usada, combinada com um acorde de couro que o faz parecer um clone desinteressante do Fahrenheit, um que acrescenta pepino tentando ser original e não conseguindo. Após pouco tempo, Wall Street despenca em uma base de musk quase inexistente, com um uso tão ralo do vetiver e das resinas que sugere a falta de verba para investir em quantidades maiores deles na fórmula.

Wall Street tenta se apropriar de tendências e fazer algo novo e atraente com elas, algo poderoso e prazeroso, mas que não sabe investir ou não tem interesse em investir nisso. O importante para Wall Street é vender uma imagem de dinheiro e sucesso, uma cara imagem que esconde um produto pobre, fraco, meramente agradável, de evolução ruim e identidade zero. Se fosse uma ação, Wall Street seria uma que só leva ao prejuízo financeiro de quem resolve investir nela.

Um comentário:

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here