Pesquisar este blog

3 de ago de 2011

Opium Pour Homme EDT e EDP - Yves Saint Laurent Avaliação/Review


Notas: groselha-preta, anis estrelado, galanga, pimenta, cedro, baunilha, ambar,balsamo tolu

Se no mercado atual encontrar perfumes masculinos em concentrações EDP, a 16 anos atrás era ainda mais raro. O mercado masculino, mais conservador, sempre viu com ressalvas uma eau de parfum, considerada uma concentração intensa e típica de perfume feminino. Entretanto, criar polêmicas e desafiar idéias pré-concebidas era uma especialidade da Yves Saint Laurent do passado, que em 1995 lançou a versão masculina do seu sucesso de vendas feminino Opium em ambas nas concentrações EDT e EDP, criando assim um produto diferenciado, arriscado e único, um dos poucos orientais masculinos que não tinha medo de acentuar exatamente o que faz um perfume oriental sensual e marcante - as notas de base.

Se a estratégia com o Opium feminino foi a de criar um complexo perfume oriental de complexas camadas de frutas, especiarias, resinas e incenso, com o masculino a grife preferiu trazer ao público masculino um oriental que explorasse de forma clara o aroma das resinas, baunilha e especiarias. Menos complexo que o feminino, a versão EDT do masculino parecia aliar a alma doce e picante de um oriental a um aroma mais clássico e amadeirado, criando uma saída frutal doce e exótica, mas que não se projetava por muito tempo, cedendo espaço rapidamente para um aroma sóbrio e formal, onde o cedro se destacava em meio a baunilha, ambar e balsamo. Já a versão EDP intensifica exatamente os elementos mais marcantes de um perfume oriental, mergulhando as especiarias, madeiras e frutas numa base intensificada de baunilha e ambar, criando um adocicado duradouro, marcante e singular entre os seus iguais masculinos.

A groselha-preta é menos evidente na versão EDP, sendo colocada como coadjuvante da aura abaunilha ambarada que já se torna evidente na pele desde o começo. É possível observar que as vezes ela aparece de formas diferentes, dando um colorido doce-amargo a saída. A pimenta se destaca entre anis e galanga, invertendo a predominância do frescor picante das especiarias para uma predominância picante e seca, conferindo uma aura mais quente que é condizente com a aura abaunilhada e ambarada da concentração. Após algumas horas na pele, o que atuava como base se torna destaque e é possível perceber a cremosidade da baunilha em meio a uma névoa de resinas adocicadas e ambar, que a envolvem por várias horas na pele.

Ainda que seja predominantemente doce, Opium pour homme não sugere aromas de comida e é um gourmand masculino adulto, lançado em uma época onde as preferências giravam em torno de composições aquáticas frescas ou gourmands que pareciam claramente inspirados em sobremesas. Talvez por uma falta de tino comercial de quem administra a grife,  o que poderia ser um clássico de vendas hoje é um produto secundário e esquecido com uma concentração EDP que ainda é um diferencial no mercado de perfumes orientais masculinos. Em vez de uma droga, Opium pour homme se tornou um tesouro esquecido a ser descoberto por aqueles que não se satisfazem com a mediocridade que a grife tem apresentado recentemente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here