Pesquisar este blog

23 de ago de 2011

Les Nombres d'Or Cuir - Mona di Orio Avaliação/Review


Notas: Cardamomo, absinto, couro, castóreo, opoponax, cade, junipero

Criar uma coleção de perfumes nomeados cada um por um aroma é uma estratégia que pode render resultados bons e ruins. O perigo de tal abordagem é criar um perfume cujo o conceito não adiciona nada ao aroma que lhe dá nome ou então simplesmente não possui uma relação clara com ele, decepcionando a quem o prova na pele esperando sentir uma predominância daquela nota. A coleção Les Nombres d'Or da Mona di Orio consegue fugir desses perigos e ainda acrescentar adoráveis aromas de alta qualidade em setores clássicos da perfumaria em que se destacar é difícil devido ao grande número de bons produtos existentes.


Cuir foi criado no primeiro trio de lançamentos da linha e é um balanceado e complexo perfume de couro a moda antiga, com uma aura masculina harmônica difícil de se encontrar hoje. Mona di Orio revisita um dos temas mais clássicos e sai vitoriosa ao usar  proporção aurea no balanço dos elementos, um couro que utiliza a aura da idéia do Couro Russo mas da sua própria maneira. O método escolhido por Mona cria um couro que é linear e complexo ao mesmo tempo, mantendo uma aura acourada seca que se transforma conforme os elementos evoluem mas que mantém o seu cheiro seco e elegante o tempo todo entre todos os elementos.

A princípio, percebe-se que cardamomo e junípero conferem a parte mais leve e clara desse couro, a parte especiada, levemente herbal que aqui faz o papel de uma saída cítrica no balanço geral do acorde acourado. O absinto e o cade formam uma interessante combinação incensada emborracha e verde amarga, com o cade conferindo a ligação com a idéia clássica do couro e o absinto dando lhe parte da aura clássica masculina com um herbal seco e amargo. Aos poucos, a idéia permanece acourada e seca mas dessa vez focando na base, uma mistura de couro, castóreo e opoponax. O opoponax surpreende por não apresentar a nuance atalcada que se apresenta de forma secundária em alguns perfumes de couro, focando no aspecto resinoso e adocicado. O castóreo é interessante empregado para aludir ao aspecto animal do couro, sem contanto criar uma aura animálica que torne Cuir difícil de usar para alguns.

Cuir possui uma evolução orgânica na pele, na qual você consegue perceber sua evolução sem que haja uma quebra clara entre cada fase. Seu equilíbrio o torna uma interpretação fiel ao passado, aos secos Couros Russos, criando uma aura equilibrada moderna, não intimista e não expansiva. Sendo assim, Cuir é uma bela alternativa a perda da maioria dos perfumes clássicos de couro, ligeiramente defumados e secos, um couro que mostra a existência de idéias bem elaboradas no passado, interpretadas de forma inteligente e pessoal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here