Pesquisar este blog

28 de jul de 2011

Y - Yves Saint Laurent Avaliação/Review


Notas: aldeídos, madressilva, gardênia, notas verdes, pêssego, ameixa, tuberosa, raiz de iris, jasmim, jacinto, ylang-ylang, rosa, sândalo, ambar, patchouli, benjoin, patchouli, civeta, oakmoss, vetiver, estoraque

Como primeiro perfume da grife, Y de Yves Saint Laurent marcaria em grande estilo a entrada de um importante estilista no segmento de perfumaria, uma entrada que com o tempo se mostraria grandiosa e produtora de grandes sucessos comerciais e de perfumes que continuam únicos em sua personalidade até hoje. Y serve como uma referência as características de uma YSL que morreu junto com quem a concebeu, uma grife que se no passado se destacava entre suas rivais hoje parece não se distinguir delas. Ainda que Y seja um chypre verde e floral como muitos de sua época, há uma complexidade e um equilíbrio em suas notas dificilmente visto em criações desse estilo. Y parece dosar tanto o aspecto verde, como o terroso, o musgoso, o floral e o frutal, produzindo uma complexa silhueta olfativa que se torna sensual de uma forma sóbria, adequada para o ideal de perfume de quando ele foi concebido e atemporal o suficiente para soar elegante ainda hoje. Y abre como um delicíoso aroma verde em meio as flores e ao toque aldeídico. Após isso isso, há uma sinfônia de flores brancas e carnais em contraste com um musgo e uma raiz de iris que parecem fornecer uma terra fresca e natural que complementa sinfônicamente o bouquet floral sensual. O musgo deixa um espaço razoável para que se perceba uma base amadeirada, de contornos resinosos e adocicados, base talvez que hoje seja mais confortável ao público masculino que ao feminino devido ao estilo assumido pela maioria das mulheres hoje em dia. Y possui uma identidade clara, um aroma que alia em si vários elementos diferentes em um único perfume, sem descuidar de nenhum detalhe. Seu cheiro hoje possui um ar saudosista, pois criações como ele não serão mais feitas pela grife, mesmo que sejam criações adequadas as tendências de hoje da perfumaria; isto porque quem administra a marca não possui nenhuma paixão ou respeito pelo trabalho que fez com o que o nome grife fosse algo atualmente. É provável que se Y tivesse sido lançado atualmente, seria apenas mais um perfume sem identidade, uma letra genérica em meio a uma sopa de letrinhas aromáticas que quase sempre possui o mesmo cheiro comum.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here