Pesquisar este blog

21 de jul de 2011

Pêche Noire - En Voyage Perfumes Avaliação/Review


Notas: Bergamota, Gálbano, Jacinto, Gardênia, Rosa, Orris, lírio do vale, jasmim, lírio, vetiver, couro esfumaçado, musgo de carvalho, ambar, sândalo

O complicado de muitas inspirações em um único perfume é criar uma idéia que seja capaz de satisfazer a todas de forma clara e sem perder a qualidade. Tem-se a impressão de que Shelley fez esse trabalho, e de uma forma muito bem sucedida, com Pêche Noire. Criado ao redor da nota de pêssego, a artista concebeu uma viagem olfativa que faz uma colagem de idéias ao redor do aroma dessa delicada fruta. Utilizando-se das inspirações da tradição chinesa, do penteado "split-peach" das gueixas, na alusão a figura da Deusa Vênus e no conceito chinês do Tao que funde idéias opostas, Pêche Noire é um intrigante aroma de pêssego e flores cujo resultado chypre frutal evoca o mistério e profundidade dos melhores chypres clássicos da perfumaria. Pêche noire começa sua viagem olfativa com o aroma doce e sedoso do pêssego brilhando em meio ao cítrico leve da bergamota e ao rico começo floral. Jacinto, Gardênia e Jasmim formam uma harmoniosa combinação floral, ressaltada pelo aspecto aldeídico do pêssego e que produz um incrível cheiro adocicado, um néctar de flores cuja a faceta doce do mel remete a idéia sensual e delicada que o inspirou. Gálbano e Orris criam uma estrutura perfumada secundária, que dá uma tonalidade mais terrosa e escura ao cintilante e sensual acorde floral e frutal e que é complementada pelo floral verde do lírio do vale e do jasmim, e a combinação forma uma harmonia que remete belamente a tempos retrôs, com uma execução delicada, sutil, as vezes sussurante até. O momento negro, de constraste entre masculino e feminino se dá na base, onde é possível perceber um seco vetiver adornado por negras rosas, um musgo fresco e um acorde acourado sutil misturado ao ambar e sândalo, idéia que aparece nos momentos finais do perfume e que o conduz a uma mista impressão de um chypre seco e de uma base acourada de adocicado amadeirado e ambarado. Como uma gueixa, peche noire parece versado em múltiplos conhecimentos e costumes, sem nunca perder a graciosidade, estando sempre entre o limite do conservador e do sensual, o que faz dele uma confortável companhia aromática e um objeto perfumado de constante desejo.

2 comentários:

SIMONE SHITRIT disse...

Não sou fã de pêssego. Muito menos de perfumes naturais, porém Shelly consegue formular uma fragrância com aura de perfume de nicho, sem aquele toque ressaca de woodstock. Amei este perfume. O pêssego tem uma aura retrô noir boho chic que é simplesmente um luxo parisiense!

Rick disse...

Eu já descobri que adoro aromas de pêssego. E esse era realmente bom como você me disse. Concordo em gênero e grau com o seu comentário acima, obrigado por ter me apresentado a esse perfume!

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here