Pesquisar este blog

19 de jun de 2011

Life Threads Platinum - La Prairie Resenha/Review


Notas: Ameixa, violeta, gálbano, jasmim, rosa, couro, cardamomo, iris, patchouli, vetiver, ambar, musgo de carvalho e labdanum

A linha life threads da La Prairie chama a atenção não pela sua originalidade, mas pela sua consistência. A grife parece ter percebido que há um buraco no mercado comercial para os usuários e usuárias dos perfumes mais adultos, executados num estilo mais antigo, pois todas as fragrâncias da linha evocam um ar vintage. Porém a grife teve um cuidado especial em ligar essa necessidade ao gosto moderno, que prefere perfumes mais doces e um pouco mais delicados, e a combinação entre moderno e vintage é bem sucedida e elegante. A interpretação de um dos metais mais preciosos da terra, a Platina, é feita por meio de um perfume chypre que liga a idéia de um chypre como ela surgiu, suavizando suas arestas mais terrosas, conhecidas por serem mais difíceis de serem apreciadas atualmente.

Tão raro quanto a platina é encontrar perfumes chypres que estejam ligados ainda a idéia original, que envolvia musgo de carvalho, labdanum e notas cítricas. A idéia original foi se tornando com o tempo distante da apreciação mais direta do consumidor, que passou a preferir um estilo novo de perfume chypre, que troca o terroso úmido do musgo pelo amadeirado canforado do patchouli. O esquecimento da idéia original também foi ocasionado pela restrição da principal nota da família, o musgo de carvalho, devido ao seu potencial causador de alergias. E exatamente por esses dois motivos que Platinum impressiona. A sua idéia não é original, entretanto é raro a criação de um aroma musgoso, dentro das restrições atuais, e que não caia no canforado adocicado de um chypre moderno, agradável, porém uma idéia que tem se mostrado genérica a cada novo lançamento da família.

Life Thread Platinum já se inicia com a assinatura terrosa e densa do musgo de carvalho, porém menos intensa, provavelmente devido as restrições na quantidade de musgo a ser utilizada. O perfume compensa utilizando o aroma verde e amargo do gálbano para itensificar o efeito musgoso, trazendo algo mais doce a idéia, para dar uma cara mais moderna a uma idéia mais clássica. Ameixa e violeta criam um aroma doce e folhoso, que progride junto com o gálbano para um coração floral dominante na rosa e com um leve toque de couro.O ambar se revela já nesse momento, se mostrando com um cheiro que lembra o aroma de mel sem ser tão doce como o mel e com algo sutilmente especiado. É mantido por um bom tempo o aroma floral denso, mais seco do que o normal, terminando o dia numa base amadeirada, ligeiramente incensada e resinosa.

Platinum oferece uma opção adequada a consumidora que procura perfumes mais complexos, que fujam da idéia atual do que deve ser um perfume feminino sem que essa tenha que recorrer a busca de perfumes vintage, que saíram de linha. É provável que Platinum agrade mais a consumidoras mais adultas, ou então a homens que procuram a complexidade de um chypre com uma execução menos focada na densidade do musgo e do gálbano. O que parecia ser impossível, um chypre vintage com uma abordagem moderna, torna-se realidade, uma que é confortável e que dura o dia inteiro na pele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here