Pesquisar este blog

14 de jun de 2011

Arabian Sandalwood - DSH Perfumes Resenha/Review


Notas: Coco, Sândalo, Cedro, Cedro do Atlas

Se há uma matéria prima natural que sofreu consideravelmente com a exploração indiscriminada é a de sândalo. A essência extraída de uma variedade dessa árvore, o sândalo indiano (ou Mysore Sandalwood), devido a sua riqueza e complexidade no aroma a tornou um uso constante na perfumaria e em hábitos aromáticos, especialmente na cultura ocidental. Com isso, a espécie se tornou ameaça de extinção, o que obrigou a ação do governo indiano para protegê-la, controlando a utilização da matéria, tornando-a consideravelmente cara. Ainda que existam outras espécies de sândalo, é difícil achar composições que consigam misturá-la a outras essências e reproduzir o mais próximo possível o seu aroma amadeirado, cremoso, recordativo em muitos aspectos em relação a uma sobremesa gourmand sem possuir o peso no cheiro de uma. Sandalwood da DSH Perfumes consegue chegar bem perto disso numa criação, simples, direta, coerente e adorável.

Dawn Spencer Hurwitz consegue combinar suas habilidades de pintura e perfumaria ao reproduzir essa visão olfativa da cremosidade, riqueza e calor do sândalo indiano. Essa composição, focada do começo ao fim na madeira, possui uma naturalidade que se preocupa mais em utilizar as essências/cores certas do que criar uma complexidade que tente disfarçar a ausência do sândalo indiano. O coco confere uma cremosidade frutal ao centro amadeirado, cremoso, enquanto o cedro o cerca balanceando sua textura gourmand e impedindo que ela se torne doce demais. Há uma leve sensação abaunilhada na combinação, que traz a textura cremosa original do sândalo indiano bem próxima. O que talvez falta aqui, o que é uma limitação da ausência dessa essência, é certa densidade da nota, que conferia um ar incensado/resinoso balanceado a composições que utilizavam-se de forma marcante dessa nota.

Arabian Sandalwood possui a coesão característica de boa parte da perfumaria árabe, que foca em algumas notas fortes e marcantes para produzir um aroma exótico e duradouro, sem entretanto cair num estilo caricato ou tornar sua criação um conceito mais fácil de ser apreciado no papel do que na pele. Num caso raro, Arabian Sandalwood consegue criar um amadeirado gourmand que não é enjoativo, que é duradouro e que possui um rastro adequado, não tão rente a pele e nem opressivo ou enjoativo. Para os apreciadores do aroma de sândalo e que gostariam de ter uma idéia de como ele é na sua variação mais rica, vale a pena provar essa reprodução artística que muito se assemelha em alguns aspectos a ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here