Pesquisar este blog

23 de mai de 2011

Rose de Nuit - Serge Lutens Resenha/Review

Notas: Rosa turca, jasmim, damasco, ambar, musk, sândalo, cera de abelha, acorde chypre

São poucas ou quase nulas as probabilidades de retorno ao mercado de Nombre Noire, a primeira das criações de Serge Lutens para a grife japonesa Shiseido. Sua marcante distorção de um floral aldeídico chypre pelo uso generoso de Osmanthus o conferia um licoroso e noturno aroma de rosas e fez para ele fãs como Luca Turin, que passaram a considerá-lo um dos melhores perfumes do mundo e que ficaram desesperados com seu sumiço, dispondo-se a pagar os altos preços que ele atingiu após sua descontinuação. Os motivos que levaram a Shiseido a retirá-lo do mercado nunca foram exatamente claros, e a probabilidade é que o uso do caro Osmanthus revelou-se após seu lançamento inviável de ser mantido. Fora desse âmbito comercial, Lutens, com a liberdade criativa que lhe foi dada pela Shiseido, lançou no início de sua linha Rose De Nuit, um perfume que explora boa parte do legado de Nombre Noire e que parece uma alternativa para os que lamentaram sua descontinuação.


Rose de Nuit se aproxima mais de Nombre Noire em sua concentração edp, com um aroma menos saturado e mais clássico, equilibrado. Há na saída um aroma aldeídico que progride para um aroma de rosas complexo. As rosas aqui não possuem o amadeirado licoroso marcante de Nombre Noire, e tentam compensar sua perda ao oferecer um aroma floral de rosas complexo, que mistura sua verte mais verde, adstringente e amarga ao aroma mais noturno, denso e acetinadao. Damasco e cera de abelha são utilizados para emular em parte o frutal denso que falta, enquanto que na ausência dele a base chypre, seca, musgosa, e ambarada se torna mais evidente.

A Rose de Nuit falta parte do charme que fez de Nombre Noire tão marcante; mas é notável seu esforço em manter todos os outros aspectos e reproduzir o efeito que a flor de osmanthus dá a estrutura, presente em Nombre Noir e ausente em Rose de Nuit. Rose de Nuit exemplifica um dos momentos mais clássicos na linha Lutensiana e serve como um caso didático que demonstra que uma reformulação pode ter um resultado final bom, sólido clássico e ainda sim distante sob certos aspectos do original que a concebeu. Essa ausência pode levar a decepção daqueles que buscam um substituto perfeito, mas Rose de Nuit deve ser considerado pelos que procuram um clássico chypre floral que tenta preservar o máximo possível da memória do original e marcante Nombre Noire, mesmo que incapaz de reproduzir seu charme e elegância de forma completa.

3 comentários:

Ana Paula Pojo disse...

Imagino que seja ótimo, heim!
ainda não o conhecia...
beijos, Rikc..

http://www.style-and-cia.blogspot.com/

Rick disse...

Oi Ana! Se vc gosta de perfumes com rosas onde o cheiro da rosa é bem evidente, e que tem aquela aura sofisticada noturna e social, é capaz que goste dele!
Bjos!

Luciana Mqs. disse...

Adorei essa resenha, admito que desconhecia totalmente essa tentativa de ser o Nombre Noire. Bom saber dos detalhes ^^
Eu adoro esse perfume!!!

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here