Pesquisar este blog

14 de abr de 2011

Heritage EDT e EDP - Guerlain Resenha/Review


Notas: limão, bergamota, lavanda, coriandro, pimenta rosa, patchouli, cedro, benjoin, fava tonka, baunilha, raiz de iris

Héritage de Guerlain é um bom exemplo de como um perfume pode não ser um sucesso de vendas mesmo sendo complexo, interessante e marcante. Lançado em uma época onde as preferências olfativas estavam longe de perfumes clássicos e em um tempo onde o veículo de venda capaz de ligá-lo aos seu público mais direto ainda estava começando, a internet, Héritage passou bem longe do conhecimento e apreciação do público masculino. E assim, muitos homens perderam o que talvez seja uma das melhores interpretações do acorde guerlinade, a clássica mistura de notas cítricas, florais, iris, baunilha e fava tonka, uma assinatura olfativa da marca mais presente em seu universo feminino.

Lançado no começo dos anos 90, ele está mais relacionado a uma interpretação sofisticada das preferências masculinas dos pesados perfumes oitentistas do que com a moda transparente, esportiva e aquática que começava a surgir no início da década de 90 . Como um parente de Zino ao estilo da marca, Héritage, em suas concentrações EDT e EDP, combina o lado aromático e ambarado ao aspecto romântico, abaunilhado, gourmand e cremoso do acorde guerlinade, conciliando o estilo sensual e complexo das criações femininas da marca ao jeito mais balanceado e seco de composição masculina. Na versão EDT o lado mais especiado, cítrico e aromático dele prevalece, tornando um perfume um pouco mais casual e fácil de usar. O acorde cítrico da saída progride para uma predominância especiada, apimentada e ligeiramente seca, terminando numa base amadeirada e discreta, onde o acorde guerlinade abaunilhado e amendoado traz complexidade, conforto sem ser dominante, finalizando de forma clássica esse herdeiro da tradição da grife.

Já a versão EDP parece mais ousada, intensa, com uma complexidade totalmente fora dos padrões dos anos 90, mas que pode ser perfeitamente apreciada na pluralidade de gostos atuais. Nela, o acorde guerlinade é explorado de uma forma clara e direta, trazendo para os homens que gostam de seu cheiro cremoso, abaunilhado e seco uma estrutura sóbria e controladamente exuberante. Na concentração EDP é possível perceber logo de cara um aroma chypre sutilmente animálico, menos cítrico que o seu irmão EDT. A lavanda parece mais seca e combinada a um aspecto ambarado, similar ao do Zino, que não é tão evidente na outra concentração. Entretanto, conforme o tempo passa, Héritage EDP vai progressivamente em direção a herança abaunilhada, cremosa e de fava tonka trazida do lado feminino da grife. O ambar e a lavanda seca substituem o lado mais atalcado, luminoso e floral da guerlinade e traz a seriedade masculina que evita com que Heritage seja doce demais ou apresente um aspecto gustativo da pele.

Apesar de lançado no momento errado, Héritage conseguiu sobreviver ao tempo e é hoje uma das melhores composições clássicas disponíveis ao público masculino no mercado. Algumas mudanças foram necessárias no perfume para adequá-lo aos padrões atuais, o que fez com que ele perdesse parte do aroma animálico chypre na versão EDP e parte do seu lado especiado na versão EDT; porém, a reformulação foi feita de forma a preservar o equilíbrio entre os aspectos mencionados acima para cada concentração, mantendo assim a fidelidade a sua fórmula original da melhor forma possível. Aos que não se adaptaram ao aspecto atalcado, doce e cítrico do clássico da marca, Habit Rouge, Héritage se apresenta como uma possibilidade mais fácil de ser apreciada e um perfume para momentos mais sociais e sérios de uma marca que entende como ninguém a sofisticação aromática masculina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here