Pesquisar este blog

23 de mar de 2011

Attar Al Kaaba - Al Haramain

Notas: Agarwood, rosa taif, sândalo, ambar


Apesar de vivermos na perfumaria ocidental recentemente uma moda por perfumes que utilizem o agarwood como uma notal sensual e misteriosa, essa resina perfumada, obtida de algumas de um bálsamo produzido por algumas espécies de árvores atingidas por um determinado, é já velha conhecida da humanidade. Seja talvez por suas propriedades curativas, ou por seu complexo aroma, a nota aparece principalmente nas culturas árabe e chinesa, como parte de rituais religiosos ou como um hábito perfumado da nobreza dessas sociedades. Al Kaaba, criação da grife árabe Al Haramain, oferece o que há de melhor entre religiosidade e nobreza numa composição acessível, simples e bem feita.

Algumas espécies de óleos de agarwood podem atingir valores muito altos, devido a raridade e também a idade de envelhecimento do óleo, que, ao ser conservado, com o passar do tempo se torna mais forte e rico em detalhes. Al Kaaba se preocupa em utilizar um óleo de agarwood que não torna a composição acessível somente a nobreza árabe, mas também não envergonha seu nome e sua cultura. O casamento entre agarwood e rosas é perfeito, de tal forma que ambos evoluem na pele como marido e esposa que se conhecem perfeitamente. Eles são como um só corpo aromático, sensual, denso, ao mesmo tempo delicado, enigmático. O agarwood se manifesta primeiramente, com um cheiro que aqui varia entre sua faceta ambarada, seu cheiro amadeirado e seu aspecto mais licoroso e seco. A sua bela esposa rosa logo se enlaça aos braços de seu belo aroma, delicada, acetinada, com uma leve nuance de musk e açafrão. Não há pressa em seus movimentos, ambos parecem participar de um ritual de amor sagrado, um ritual de delicados movimentos sussurantes, que não precisa elevar a voz para ser lembrado pela memória. O ambiente desse nobre casal olfativo é cercado por um ambar e sândalo que criam uma aura ligeiramente cremosa, amadeirada, incensada e dá o tom final desse delicado ritual de amor.

Alguns talvez não entendam os encantos dessa simples, complexa, tradicional melodia. Não estamos acostumados a esse tipo de composição em nossa sociedade moderna. Al Kaaba mostra o melhor dessa complexa e interessante nota, aliando-a a uma execução muito bem feita, respeitosa da cultura árabe, uma composição nobre, que utiliza uma bela rosa, musk e sândalo para criar um perfume incrivelmente duradouro, digno dos sheiks, porém acessível aos meros mortais. É um exemplo a perfumaria ocidental comercial da forma correta de se tratar essa nobre essência.

6 comentários:

andfar disse...

Pura poesia, resenha tão bela quanto o attar em si...

Rick disse...

Obrigado Andréa!
Tomei um cuidado extra em tentar capturar o que eu sentia sobre esse perfume - queria honrar sua generosidade ao me enviar prontamente uma amostra dele, mas ao mesmo tempo queria ser bem sincero e honesto. Agradeço de coração pela chance de conhecer esse perfume :)

Dâmaris Village Beauté disse...

Querido Rick

que poética resenha! parabéns!

bjs

Rick disse...

Obrigado querida amiga! Fico muito contente que tenhas gostado.
Parabéns pelo seu blog, está muito bom :)
Ah, estou aguardando a sua listinha para trocarmos amostras rs
Bjos!

Morgana disse...

Prezado Rick,
Parabéns pelo texto delicado e perfumado.
Perfumaria árabe é minha paixão. Saberia me informar onde posso encontrar o "Attar Al Kaaba" e ou outros aromas da perfumaria oriental?
abraços e sucesso sempre!

Henrique/Rick disse...

Olá Morgana,

Obrigado pelo gentil comentário :) Bem, vou te recomendar a loja árabe que em geral eu recomendo para as pessoas, a Zahras. Ela vende internacionalmente, mas para você fechar a venda é necessário enviar um email para eles (tem o email no site): www.zahras.com
Eles falam inglês e são bem atenciosos, e possuem uma boa seleção de perfumes árabes, vale a pena dar uma conferida.
Abraços!

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here